KLM uses cookies.

KLM’s websites use cookies and similar technologies. KLM uses functional cookies to ensure that the websites operate properly and analytic cookies to make your user experience optimal. Third parties place marketing and other cookies on the websites to display personalised advertisements for you. These third parties may monitor your internet behaviour through these cookies. By clicking ‘agree’ next to this or by continuing to use this website, you thereby give consent for the placement of these cookies. If you would like to know more about cookies or adjusting your cookie settings, please read KLM’s cookie policy.

Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

Uma catedral única feita em madeira

A Catedral de São Pedro e São Paulo é uma das pérolas do centro histórico de Paramaribo. Do umbral ao pináculo, a construção é toda feita em madeira. Esta é uma das duas maiores catedrais de madeira da América do Sul. Graças a uma reforma recente, a fachada pintada de amarelo e cinza azulado parece tão viva quanto costumava ser. Assim que você entra, uma experiência especial está à sua espera.

Não seus olhos, mas seu nariz vai registrar as primeiras impressões da comprida Catedral de São Pedro e São Paulo. Ao entrar, você será saudado pelo maravilhoso cheiro almiscarado e picante de cedro. Quando a catedral foi construída, entre 1883 e 1885, não existiam fábricas de tijolos no Suriname, país rico em argila. Porém, a selva fornecia madeira em abundância. Isso deu à igreja não só um aroma diferenciado, mas também uma atmosfera cálida e uma acústica notável.

A Catedral de São Pedro e São Paulo
A Catedral de São Pedro e São Paulo

Paramaribo

Madeira de cedro e esculturas em madeira ornamentadas

A fachada e os pilares da igreja são feitos de Greenheart surinamês, uma madeira durável e incrivelmente forte, que é praticamente indestrutível. Para dar mais volume aos troncos delgados desta árvore, os pilares da igreja foram revestidos de madeira de cedro bruta. O restante do interior da igreja também foi construído de cedro castanho avermelhado. Esta madeira de aparência tropical combina muito bem com os estilos arquitetônicos europeus. Os arcos de volta perfeita e as colunatas são feitos em estilo neorromânico, enquanto os dois altos pináculos parecem neogóticos. As esculturas decorativas em madeira na catedral são claramente obras locais: as formas ornamentais dos capitéis e arcos foram esculpidas por trabalhadores crioulos livres. Isto é excepcional, já que a escravatura no Suriname só foi abolida em 1863, pouco antes da construção da igreja. Os sacerdotes usaram esta oportunidade para tornar a igreja mais atraente para a crescente comunidade de escravos libertos.

O belo interior da igreja

De catedral a basílica

No final do século passado, a catedral não estava nas boas condições em que se encontra hoje. Depois de uma tentativa fracassada de restauração, a igreja começou a se inclinar e a fachada começou a descascar. Quando se encontraram cupins e madeira podre, a catedral foi fechada e assim permaneceu por 20 anos. Em 2010, o minucioso trabalho de restauração, que consumiu 5 anos, finalmente terminou. Desde então, a catedral de madeira está em excelentes condições. Olhe atentamente para a madeira mais clara e mais escura no teto, para identificar as novas vigas. Em 2014, o Papa Francisco concedeu o maior título honorário para uma construção católica: agora a catedral de madeira é também uma basílica.

A catedral na rua Henck Arronstraat

Santo Padre

A Catedral de São Pedro e São Paulo é um lugar importante de peregrinação para os surinameses católicos, que são cerca de 20% da população. Numa capela lateral da igreja, encontra-se o túmulo do padre beatificado Peerke Donders (1809-1887). Este missionário holandês dedicou grande parte de sua vida a cuidar de leprosos em Batavia, uma colônia de leprosos a oeste de Paramaribo, onde eles viviam em condições miseráveis.

Créditos das fotos

  • O belo interior da igreja: David Stanley, Flickr
  • A catedral na rua Henck Arronstraat: Bart van Poll, Flickr