KLM uses cookies.

KLM’s websites use cookies and similar technologies. KLM uses functional cookies to ensure that the websites operate properly and analytic cookies to make your user experience optimal. Third parties place marketing and other cookies on the websites to display personalised advertisements for you. These third parties may monitor your internet behaviour through these cookies. By clicking ‘agree’ next to this or by continuing to use this website, you thereby give consent for the placement of these cookies. If you would like to know more about cookies or adjusting your cookie settings, please read KLM’s cookie policy.

Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

Os dois Tates renovados

Às margens do Rio Tâmisa estão dois dos museus mais importantes de Londres: O Tate Britain e o Tate Modern. O clássico prédio do Tate Britain, que passou por uma transformação completa em 2013, exibe uma impressionante coleção de arte britânica que data desde os anos de 1500 até hoje em dia. O Tate Modern, abrigado em uma antiga usina, exibe um cenário industrial, onde o espaço e a luz complementam as exposições de arte moderna e contemporânea internacional.

A Tate Gallery inclui uma rede de 4 museus na Inglaterra: Tate Britain, Tate Modern, Tate Liverpool e Tate St. Ives. As galerias receberam o nome de Henry Tate, um colecionador de arte que fez fortuna com as plantações de açúcar. Em 1897, ele doou parte de sua fortuna ao governo britânico para fundar um museu de are nacional. O Tate Britain e o Tate Modern são conectados por uma rápida viagem de barco pelo Tâmisa. O interior e o exterior do Tate Modern foram projetados pelo famoso artista Damien Hirst.

Um passeio no tempo

Os museus Tate exibem arte britânica antiga e contemporânea em ordem cronológica, para que possa literalmente passear no tempo. A coleção inclui obras-primas de Gainsborough, Hogarth, Millais e Whistler. Os artistas modernos em exibição incluem nomes famosos, como Francis Bacon, Lucian Freud e Damien Hirst. O Tate Britain também contém a maior coleção do mundo de obras de William Turner.
Todos os anos, a Tate Gallery concede o Turner Prize a um artista britânico. Esse prêmio de arte prestigioso e aclamado foi concedido a artistas como Damien Hirst, por seu cruzamento de uma vaca com um bezerro em formaldeído, bem como a Chris Ofili, que criou pinturas tridimensionais feitas com esterco de elefante.

Essa renovação da parte antiga do Tate Britain foi projetada pela empresa de arquitetura líder, a Caruso St John. Esse projeto acompanhou a abertura de 10 novas galerias em maio de 2013, o que agora torna possível ver as obras de arte em ordem cronológica. O projeto de construção de £45 milhões inclui outra nova galeria que abrigará exposições que exibem coleções impressionantes de cartas escritas por artistas britânicos. Diversos artistas modernos foram convidados para contribuir com o novo espaço; Richard Wright criou a luminária soprada manualmente para o Millbank Lobby, e Alan Johnston fez as pinturas no teto do Djanogly Café.

Tate Britain

O maior espaço de exposição do mundo

O Tate Modern é um dos museus mais visitados do mundo. O antigo Turbine Hall do Tate tem 160 metros de comprimento, 23 metros de largura e 40 metros de altura. Além do hall, há 85 salas espalhadas em 7 andares. A famosa empresa de arquitetura suíça Herzog & de Meuron reprojetou a usina, ao mesmo tempo, preservando seu passado industrial. A adição mais interessante é uma caixa de vidro com altura de 2 andares que percorre todo o comprimento do prédio. O museu exibe obras de arte de mestres como Cézanne, Bonnard, Matisse, Picasso, Rothko, Dalí, Pollock, Warhol e Bourgeois. O restaurante no 7o andar proporciona uma ela vista do Tâmisa, da cidade e da St. Paul’s Cathedral.

O Turbine Hall do Tate Modern