KLM uses cookies.

KLM’s websites use cookies and similar technologies. KLM uses functional cookies to ensure that the websites operate properly and analytic cookies to make your user experience optimal. Third parties place marketing and other cookies on the websites to display personalised advertisements for you. These third parties may monitor your internet behaviour through these cookies. By clicking ‘agree’ next to this or by continuing to use this website, you thereby give consent for the placement of these cookies. If you would like to know more about cookies or adjusting your cookie settings, please read KLM’s cookie policy.

Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

As pontes do Rio Sena

O Rio Sena atravessa o coração de Paris. Ao longo das margens do rio, você verá as típicas bancas de livros, artistas trabalhando e parques românticos, além de paisagens que já serviram de cenário para inúmeros filmes. Mas é nas muitas pontes que você consegue perceber a essência desse rio elegante, um dos maiores ícones da cidade.

O Rio Sena divide a cidade em duas partes. Muitas pessoas têm seu lado preferido: a Rive gauche (margem esquerda) é considerada mais histórica e romântica, enquanto a Rive droite (margem direita) é mais badalada. O que une essas duas partes são as pontes de Paris: ao todo são 37 pontes, cada uma com características próprias e uma vista diferente e encantadora da Cidade do Amor.

O Rio Sena atravessa o coração de Paris
O Rio Sena atravessa o coração de Paris

Paris

Pont Neuf

Apesar do nome, a Pont Neuf (Ponte Nova) é a ponte mais antiga de Paris. O Rei Henrique III lançou a primeira pedra em 1578 e seus arcos elegantes unem a Île de la Cité às duas margens do rio desde 1607. A Pont Neuf foi a primeira ponte de Paris a ser construída de pedra e a primeira sem casas, oferecendo uma vista livre para o Rio Sena, e logo caiu no gosto popular. As largas calçadas, que separavam os pedestres dos cavalos e das carruagens, também contribuíram para a popularidade da ponte.

A Pont Neuf liga a Île de la Cité às duas margens

Pont des Arts

Emoldurada pela belíssima Île de la Cité e as luzes brilhantes da Torre Eiffel, a Pont des Arts é um dos melhores locais para assistir ao nascer do sol. Todos os dias, as pessoas ocupam os bancos ao longo da ponte para apreciar a vista magnífica do Rio Sena e observar o vaivém dos parisienses.

A Pont des Arts também é conhecida como a ponte dos apaixonados: diz a lenda que os casais apaixonados que se beijam na ponte ficam juntos para sempre. Concluída em 1804, seu desenho inovador foi ideia de Napoleão Bonaparte. Ele queria uma ponte de metal para ligar o Institut de France ao Palais des Arts (como o Louvre era conhecido à época), que acabou inspirando o nome da ponte. Obviamente, a ponte já serviu de inspiração para inúmeros artistas.

A Pont des Arts é a ponte mais romântica de Paris
A espetacular Pont Alexandre III

Pont Alexandre III

Lanternas antigas, ninfas e cavalos alados dourados: muitas pessoas dizem que a Pont Alexandre III é a mais bonita de Paris. A ponte foi inaugurada para a Exposição Universal, em 1900. Ela foi batizada em homenagem ao czar russo Alexandre III como símbolo da renovação dos laços de amizade entre a França e a Rússia. O estilo da ponte é inspirado no Grand Palais, que fica à direita da ponte. De noite, quando as luzes são acesas, a ponte fica com uma aparência de conto de fadas.