KLM uses cookies.

KLM’s websites use cookies and similar technologies. KLM uses functional cookies to ensure that the websites operate properly and analytic cookies to make your user experience optimal. Third parties place marketing and other cookies on the websites to display personalised advertisements for you. These third parties may monitor your internet behaviour through these cookies. By clicking ‘agree’ next to this or by continuing to use this website, you thereby give consent for the placement of these cookies. If you would like to know more about cookies or adjusting your cookie settings, please read KLM’s cookie policy.

Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

Cultura no Parque do Ibirapuera

Uma grande cidade merece um grande parque, e, sem sombra de dúvida, o Parque do Ibirapuera é gigantesco. É onde os paulistanos – habitantes de São Paulo – se dirigem para fugir do trânsito da cidade. O parque não é apenas perfeito para um passeio de lazer ou um piquenique descontraído, mas é também um centro cultural.

O arquiteto e paisagista Roberto Burle Marx (1909-1994) projetou o parque nos anos de 1950, junto com o modernista Oscar Niemeyer (1907-2012). O Parque do Ibirapuera foi construído para comemorar o quarto centenário de São Paulo. A combinação de vegetação e cultura torna o Ibirapuera um dos parques mais apreciados do Brasil.

Gramados e água no Parque do Ibirapuera
Gramados e água no Parque do Ibirapuera

São Paulo

Palmeiras e arquitetura

Às vezes, pode-se ouvir os paulistanos se referirem brincando aos 160 hectares de vegetação como a “praia”. E isso não é totalmente falso; assim que o tempo permite, os visitantes vêm tomar banho de sol espalhando-se pelos gramados no parque. O projeto de Burle Marx é uma sucessão de plantas tropicais, gramados com lagos e caminhos tortuosos. E no meio de toda essa vegetação fica a arquitetura futurista de Oscar Niemeyer. As construções se integram perfeitamente na paisagem do parque.


Uma das mais novas referências é o Auditório Ibirapuera, uma sala de concertos construída em 2005. Uma notável labareda vermelha se projeta do prédio branco lustroso. O auditório tem muitos ângulos diferentes, dependendo de como você o observa, e tem assentos para 800 pessoas. Uma característica especial é a porta de 20 metros de largura no fundo do palco: ela se abre para o gramado adjacente de onde outros 10 mil espectadores podem ver o palco.

Auditório Ibirapuera
Pavilhão das Culturas Brasileiras

Arte brasileira

Outro prédio que chama a atenção é o Pavilhão da Bienal de Arte. Ele foi inaugurado em 1957 para sediar a Bienal de Arte de São Paulo, um evento de arte que ocorre a cada dois anos. Niemeyer projetou o prédio com imensas janelas e tetos altos. Dentro, as balaustradas brancas onduladas guiam os visitantes pelas grandes coleções de arte. O Pavilhão também sedia eventos, incluindo a São Paulo Fashion Week. No parque, você verá também o Pavilhão das Culturas Brasileiras, outra criação de Niemeyer. Aqui você pode ver arte brasileira exposta, abrangendo desde artesanato regional até o moderno design urbano.

Créditos das fotos

  • Auditório Ibirapuera: Luiz Rocha, Shutterstock
  • Pavilhão das Culturas Brasileiras: Gabriel de Andrade Fernandes, Flickr