KLM uses cookies.

KLM’s websites use cookies and similar technologies. KLM uses functional cookies to ensure that the websites operate properly and analytic cookies to make your user experience optimal. Third parties place marketing and other cookies on the websites to display personalised advertisements for you. These third parties may monitor your internet behaviour through these cookies. By clicking ‘agree’ next to this or by continuing to use this website, you thereby give consent for the placement of these cookies. If you would like to know more about cookies or adjusting your cookie settings, please read KLM’s cookie policy.

Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

Famosa e reverenciada: a Fontana di Trevi

Em 1730, o Papa Clemente XII criou um concurso para projetar uma fonte. Não havia regras ou exigências. O vencedor foi Nicola Salvi com seu enorme e lindo projeto de uma fonte com Netuno, o deus do mar. A construção começou em 1732, mas infelizmente Salvi nunca viu sua criação pronta: a mundialmente famosa Fontana di Trevi só foi concluída em 1762, 11 anos depois de sua morte.

Trevi significa “três vias” – o lugar onde está a fonte era a interseção de três caminhos que aí se encontravam. De longe a maior e mais famosa fonte de Roma, a Fontana di Trevi tem 20 metros de largura por 26 metros de altura. Ela representa Netuno numa carruagem puxada por dois cavalos montados por dois Tritões, um mais velho e outro mais jovem. Olhe mais atentamente e você perceberá que um dos cavalos está calmo, enquanto o outro é bem selvagem: um símbolo das “mudanças de humor” do oceano.

A água cristalina da Fontana di Trevi

Água deliciosa para chá

A água da Fontana di Trevi vem do aqueduto de Acqua Vergine. Segundo os especialistas da época, essa era a água mais leve e saborosa de Roma. Diariamente, grandes barris eram enchidos com a água da fonte e levados para o Vaticano. Parece que a água era tão boa que os ingleses em Roma a utilizavam para preparar chá. Entretanto, em 1961, a água foi declarada imprópria para consumo. Atualmente, a água da Fontana di Trevi é filtrada por bombas e é tão limpa quanto a água de seu hotel. Se tirada diretamente da bomba, e não do tanque, a água é própria para ser bebida – se você tiver coragem.

Um espetáculo com Netuno, o Deus do Mar

Como casar-se com um romano

A Fontana di Trevi é o lugar para se ir e jogar moedas na água para atrair a boa sorte. Conta a lenda que se você jogar uma moeda por cima de seu ombro para dentro da fonte, você voltará um dia para Roma. Duas moedas garantirão que você encontre o amor de sua vida, e três moedas garantirão que você se case com um romano. As moedas nunca ficam na água por mais de sete dias. A prefeitura as retira semanalmente e as doa para instituições de caridade. A Fontana di Trevi foi estrela de vários filmes, mas sua mais famosa aparição foi em “La Dolce Vita”. No filme clássico, uma calorenta Anita Ekberg banha-se na fonte.

Cena das pessoas atirando moedas

Créditos das fotos

  • Cena das pessoas atirando moedas: Foto Het decor van muntjesgooiers: Lucian Milasan, 123rf