KLM uses cookies.

KLM’s websites use cookies and similar technologies. KLM uses functional cookies to ensure that the websites operate properly and analytic cookies to make your user experience optimal. Third parties place marketing and other cookies on the websites to display personalised advertisements for you. These third parties may monitor your internet behaviour through these cookies. By clicking ‘agree’ next to this or by continuing to use this website, you thereby give consent for the placement of these cookies. If you would like to know more about cookies or adjusting your cookie settings, please read KLM’s cookie policy.

Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

Cidade Proibida

Os chineses costumavam considerar a Cidade Proibida o centro do universo, e com um bom motivo! Enquanto a Europa ainda estava presa na Idade Média, Pequim presenciou o surgimento de um enorme complexo de palácios com centenas de alcovas, quartos e salões. A Cidade Imperial não era somente proibida para cidadãos comuns, também era invisível, escondida atrás de muros de 8 metros de largura e 10 metros de altura.

O Imperador Ming Yongle ordenou a construção da Cidade Proibida nos primórdios do século XV. A lenda diz que mais de um milhão de trabalhadores participaram da construção. Depois do domínio do Imperador Yongle, a cidade foi a casa de mais 23 imperadores durante um período de 5 séculos. Parcialmente devido ao filme O Último Imperador, a primeira vez que uma equipe cinematográfica teve acesso ao interior, atualmente o complexo é mundialmente famoso. Há um grande retrato de Mao Tsé-Tung acima da entrada para a praça Tiananmen, separada da Cidade Proibida pelo Portão da Paz Celestial.

A Cidade Proibida, fechada por 5 séculos
A Cidade Proibida, fechada por 5 séculos

Pequim

A joia da coroa

Para os visitantes da Cidade Proibida parece quase impossível que algo tão enorme tenha ficado escondido durante cinco séculos. Agora o complexo recupera o tempo perdido e o mundo secreto dos imperadores, haréns e eunucos recebe aproximadamente 40.000 visitantes por dia. Contudo, a Cidade Proibida permanece grandiosa. Em 1987 ela foi declarada um dos Patrimônios Mundiais da Humanidade pela UNESCO e é preservada adequadamente. Sempre há alguma parte sendo renovada ou reconstruída.

Visitar toda a riqueza dos salões, galerias, praças e palácios levará pelo menos um dia inteiro. Mesmo para ter apenas uma impressão geral, recomendamos uma visita de pelo menos algumas horas. Sua paciência e vigor serão recompensados. Se os nomes já falam por si mesmos, o prazer é interminável: passando a entrada você encontrará a Galeria da Harmonia Suprema, depois o Portão da Pureza Divina, o Palácio da Tranquilidade Terrena e a Galeria da União, além de muitos outros. Quem se aventurar a visitar toda a extensão da cidade também poderá ver o Jardim Imperial com ainda mais palácios em suas laterais. Esta parte da Cidade Proibida, muitas vezes ignorada, é um excelente local para caminhar por um labirinto de galerias, portões e pátios.

+ Ler mais

Visualização no mapa

Jingshanqian Street 4, Distrito Dongcheng, Pequim

A entrada norte, vista da colina Jingshan

Parque Jingshan

Passando o Portão da Grandeza Divina, na entrada norte da Cidade Proibida, está o Parque Jingshan. Esta colina artificial foi criada pela grande quantidade de solo escavado para construir o fosso de 52 metros de largura e 6 metros de profundidade ao redor da Cidade Proibida. É um belo local para observar os telhados da cidade em pavilhões com nomes como Bela Vista e Fragrância Acumulada.

O Pavilhão Guanmiao no Parque Jingshan