KLM uses cookies.

KLM’s websites use cookies and similar technologies. KLM uses functional cookies to ensure that the websites operate properly and analytic cookies to make your user experience optimal. Third parties place marketing and other cookies on the websites to display personalised advertisements for you. These third parties may monitor your internet behaviour through these cookies. By clicking ‘agree’ next to this or by continuing to use this website, you thereby give consent for the placement of these cookies. If you would like to know more about cookies or adjusting your cookie settings, please read KLM’s cookie policy.

Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

A catedral de titânio de Gehry

O Museu Guggenheim de Frank Gehry recolocou Bilbao para sempre no mapa. Inaugurado em 1997, o complexo futurista cintila majestosamente ao sol. A cada ano, a obra prima de Gehry atrai dezenas de milhares de visitantes à cidade basca.

Os locais chamam sua cidade El Botxo, “o buraco”, um apelido bastante apropriado antes de sua revitalização. Bilbao costumava ser uma cidade industrial triste às margens do poluído rio Nervión. O arquiteto Frank Gehry tomou um avião, subiu uma montanha, olhou para baixo para Bilbao e viu que as coisas não eram bem assim. Ele comprou um carregamento de titânio com desconto e construiu um dos edifícios mais famosos do mundo.

“La Araña” - A Aranha do Guggenheim
“La Araña” - A Aranha do Guggenheim

Bilbao

De Picasso e Dalí a Serra e Koons

Duas décadas depois, a impressionante construção sinuosa de Gehry continua sendo a principal atração de Bilbao. Metade dos 10 mil metros quadrados de espaço de exposição destina-se às exposições temporárias. As outras galerias exibem Warhol, Magritte, Picasso e Dalí. A Galeria Arcelor, com 130 metros de profundidade, abriga sete esculturas enormes em aço oxidado de Richard Serra. Do lado de fora, encontra-se uma das obras de arte mais divertidas: “Puppy”, uma escultura de um cachorro, com muitos metros de altura, feita de petúnias coloridas, criada pelo rei do kitsch, Jeff Koons.


Os visitantes podem utilizar um áudio-guia gratuito para se localizar nesta catedral de titânio de arte moderna. Há um outro guia da parte externa do museu com informações sobre a arquitetura. Aqueles que gostam de examinar a biblioteca, vasculhar a loja do museu e relaxar no terraço do restaurante podem facilmente passar um dia inteiro no Guggenheim. Um fato interessante é que Gehry também criou um plano para Abandoibarra, o distrito portuário vizinho.

““Puppy”, uma gigantesca escultura do rei do kitsch Jeff Koons, vigia a entrada”

Parque de diversões da arquitetura moderna

Depois da construção do Museu Guggenheim de Bilbao de Gehry, a cidade adquiriu uma arquitetura mais moderna. Praticamente todos os grandes arquitetos do mundo deixaram sua marca aqui: um aeroporto futurista por Santiago Calatrava, um vistoso metrô por Norman Foster, um edifício em vidro para congressos e música (Palácio Euskalduna) por Federico Soriano e um cintilante arranha-céus por Cesar Pelli. Bilbao é um lindo parque de diversões para os fãs da arquitetura moderna, e o Guggenheim continua sendo seu elemento central. As vistas do Guggenheim nunca ficam monótonas porque sua aparência de titânio muda tanto quanto o clima. De dia, ele produz um contraste branco profundo contra o céu azul, ao pôr do sol ele ganha um brilho rosa claro e depois de uma chuvarada basca em geral ele irradia um matiz lilás claro.