KLM uses cookies.

KLM’s websites use cookies and similar technologies. KLM uses functional cookies to ensure that the websites operate properly and analytic cookies to make your user experience optimal. Third parties place marketing and other cookies on the websites to display personalised advertisements for you. These third parties may monitor your internet behaviour through these cookies. By clicking ‘agree’ next to this or by continuing to use this website, you thereby give consent for the placement of these cookies. If you would like to know more about cookies or adjusting your cookie settings, please read KLM’s cookie policy.

Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

Casas de tijolinhos históricas em Punda

As casas de tijolinhos em Handelskade aparecem na maioria dos cartões-postais enviados de Willemstad. As casinhas pitorescas são inspiradas nos canais de Amsterdã, com uma grande diferença: são pintadas nas cores ocre, laranja, azul e rosa. O primeiro governador holandês disse que o reflexo da luz do sol nas casas brancas lhe dava dor de cabeça e ordenou que as casas fossem pintadas. Posteriormente, descobriu-se que ele tinha feito um acordo com uma fábrica de tintas holandesa!

Punda é a paisagem urbana mais pitoresca do Caribe. O bairro mais antigo de Willemstad reúne um incrível número de prédios em estilo colonial holandês. O Forte Amsterdã, a atual residência do governador de Curaçao, foi a primeira das muitas fortalezas construídas pelos holandeses no local no século 17. A zona portuária abriga restaurantes, terraços e bares. Os menus incluem pratos típicos holandeses, como croquetes de carne e cerveja, tabelados em florins holandeses, a antiga moeda da Holanda.

Casas coloridas em Otrobanda
Casas coloridas em Otrobanda

Curaçau

As atrações de Punda

O centro colonial de Willemstad é um dos seis locais do Caribe na lista de Patrimônios Culturais da Humanidade da UNESCO. O local ganhou esse titulo devido ao orgulho de Curaçao, o prédio Penha, entre Handelskade e Heerenstraat. Esse enorme armazém e residência pintado de amarelo e com telhado vermelho construído em 1708 tem quatro fachadas típicas em estilo holandês. As curvas elegantes, a decoração e os contornos mostram que os prédios coloniais de Willemstad não são tão holandeses quanto parecem. Muitas vezes, os arquitetos eram influenciados por outros colonizadores, como a Espanha e Portugal.
Bem em frente ao Penha, fica outro tesouro da ilha: a Ponte Rainha Emma, de 1888, também conhecida como a “ponte da barca”. Essa conexão entre os bairros nos dois lados da Baía de Santa Ana é única ponte de madeira móvel do mundo. Ela abre várias vezes ao dia para permitir que os navios entrem no porto. Nesses momentos, os pedestres precisam pegar uma barca para chegar à outra extremidade.

“Pequena Amsterdã dos trópicos: uma brilhante combinação de ocre, laranja, azul-claro e rosa-claro.”

Maravilha do Oeste

Os espanhóis "descobriram" Curaçao e os nativos da região no final do século 15. Como não encontraram recursos valiosos, eles chamaram o local de "isla inútil" e partiram. Em 1634, a Companhia Holandesa das Índias Ocidentais se apossou da ilha. Os holandeses construíram imediatamente o Forte Amsterdã para defender o porto de localização estratégica e iniciaram plantações de cana-de-açúcar, algodão e tabaco. Curaçao se tornou um centro de comércio de escravos holandês, e Willemstad passou a ser uma cidade portuária importante. O resultado ainda pode ser percebido nos dias de hoje: nenhuma outra ilha do Caribe tem mais monumentos protegidos (mais de 860) do que Curaçao.