KLM uses cookies.

KLM’s websites use cookies and similar technologies. KLM uses functional cookies to ensure that the websites operate properly and analytic cookies to make your user experience optimal. Third parties place marketing and other cookies on the websites to display personalised advertisements for you. These third parties may monitor your internet behaviour through these cookies. By clicking ‘agree’ next to this or by continuing to use this website, you thereby give consent for the placement of these cookies. If you would like to know more about cookies or adjusting your cookie settings, please read KLM’s cookie policy.

Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

Lago Titicaca, um destaque cultural e natural

No alto das montanhas dos Andes está o Lago Titicaca, um dos maiores lagos da América do Sul. Desde antes da época dos Incas, o lago desempenha um papel espiritual importante na vida da população local. Visite o lago e desfrute de vistas espetaculares, um ambiente natural fascinante e encontros com as culturas indígenas antigas.

O Lago Titicaca está localizado no sudeste do Peru, na fronteira com a Bolívia. A cor da água varia de azul-celeste para azul-anil e o lago parece se estender por todo o altiplano (planalto). O lago inteiro é uma reserva natural protegida, lar de inúmeras aves migratórias e aves aquáticas. A cidade de Puno é um grande ponto de partida para explorar o Lago Titicaca; alugar um barco para visitar as ilhas flutuantes dos Uros ou participar de um colorido festival nas margens do lago.

Procurando os Incas nas montanhas

A história da criação Inca começa no Lago Titicaca. De acordo com a lenda, o Deus Virachocha surgiu das águas e criou o sol, as estrelas e os primeiros monarcas Incas. Visite as ruínas do templo ao redor do lago para saber mais sobre a rica herança cultural dos Incas.

Existem várias ruínas na área em torno do lago Titicaca, e também no próprio lago, como na pequena ilha de Amantani. Esta ilha abriga seis aldeias onde o povo local ainda fala quíchua, a língua Inca. Não há hotéis na ilha, por isso, os visitantes costumam passar a noite com famílias locais. Duas montanhas, a Pachamama (Mãe Terra) e Pachatata (Pai Terra) conferem uma característica muito singular à ilha. A trilha até o topo passa por vales e planaltos antes dos visitantes chegarem aos majestosos templos Incas e outras ruínas antigas. A vista deslumbrante do Lago Titicaca é espetacular.

Vista das ruínas
Dançarinos em Puno

Folclore em Puno

Os visitantes de Puno aprenderão rapidamente que os moradores são muito orgulhosos do status da cidade como a capital do folclore do Peru. Durante os muitos festivais, animadas multidões dançantes e vestidas com trajes coloridos enchem as ruas. As festividades ocorrem durante todo o ano, mas uma das celebrações mais interessantes é a Fiesta de la Virgen de la Candelaria, uma fascinante mistura de rituais indígenas e cristãos, que é realizada todo mês de fevereiro. Dançarinos em trajes aterrorizantes trazem oferendas à Mãe Terra e realizam a famosa “diablada” ou dança dos demônios.

Ilhas flutuantes

Os visitantes do Lago Titicaca precisam ver as Ilhas dos Uros! As ilhas flutuantes foram construídas pelo povo dos Uros, que fizeram enormes jangadas com os resistentes bambus que crescem ao longo da margem do lago. As primeiras ilhas foram construídas como um refúgio contra os Incas. Os Uros ainda vivem nestas ilhas artificiais. O Lago Titicaca conta com cerca de 40 ilhas; os turistas são bem-vindos para aprender mais sobre esse estilo de vida tradicional. Tenha muito cuidado quando ao pisar sobre as ilhas; em alguns lugares do subsolo pode ser muito macio e frágil.

As ilhas artificiais de Uros

Créditos das fotos

  • Dançarinos em Puno: istill, Shutterstock