KLM uses cookies.

KLM’s websites use cookies and similar technologies. KLM uses functional cookies to ensure that the websites operate properly and analytic cookies to make your user experience optimal. Third parties place marketing and other cookies on the websites to display personalised advertisements for you. These third parties may monitor your internet behaviour through these cookies. By clicking ‘agree’ next to this or by continuing to use this website, you thereby give consent for the placement of these cookies. If you would like to know more about cookies or adjusting your cookie settings, please read KLM’s cookie policy.

Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

MuCEM: o mais lindo museu de Marselha

O prestigioso MuCEM é a joia da coroa cultural de Marselha. O museu é dedicado às civilizações europeias e mediterrâneas da Alta Antiguidade até os dias de hoje. Ele funciona num prédio ultramoderno com uma passarela que leva a uma fortaleza medieval. A arquitetura exclusiva torna o museu impressionante tanto dentro quanto em seu exterior.

O MuCEM, sigla de Musée des Civilisations de l'Europe et de la Méditerranée, foi inaugurado em junho de 2013, ano em que a cidade de Marselha foi declarada capital cultural da Europa. O MuCEM situa-se perto do porto histórico do centro da cidade. A entrada é gratuita, e o museu é muito popular entre os habitantes locais. Os jardins, cafés e restaurantes fazem parte do complexo e são um ótimo lugar para passar o tempo. Há também um teatro popular ao ar livre.

A excêntrica fachada

Um pot-pourri histórico

O museu foca-se nos povos da região do Mar Mediterrâneo, e há incontáveis histórias a contar sobre eles, de Istambul a Gibraltar, e da Pedra de Roseta à máfia de Palermo. Você não só pode aprender sobre a colonização da Argélia, mas também, por exemplo, sobre a cultura praiana da Riviera Francesa. Rudy Ricciotti, o arquiteto franco-argelino que projetou o museu, é ele próprio produto de diferentes culturas mediterrâneas. E isso pode ser claramente percebido: a pretensão artística é indubitavelmente francesa, enquanto as formas, como as da fachada, imprimem ao edifício um toque norte-africano. O MuCEM assume uma cor diferente, dependendo do clima e da hora do dia. Isso fica mais evidente num dia ensolarado, quando se pode observar um jogo encantador de luz e sombra nas formas excêntricas da fachada.

Jogo de luz e sombra

Engenhosamente ligado à cidade

Um dos elementos que mais chamam a atenção no MuCEM é a estreita passarela. Bem acima da água, ela liga o museu ao histórico Fort Saint-Jean, como uma linha traçada a lápis, conectando a atraente modernidade do museu à beleza clássica do forte. No forte, os visitantes encontrarão mais salas de exposições e uma segunda passarela que liga o complexo ao resto da cidade. Esta passarela estabelece uma ligação entre a beira-mar e a parte mais alta da cidade.

“A estreita passarela conduz ao histórico Fort Saint-Jean como uma linha traçada a lápis”

Créditos das fotos

  • A excêntrica fachada: pcruciatti, Shutterstock
  • Jogo de luz e sombra: Objet Bloguant Non Identifié, Flickr