KLM uses cookies.

KLM’s websites use cookies and similar technologies. KLM uses functional cookies to ensure that the websites operate properly and analytic cookies to make your user experience optimal. Third parties place marketing and other cookies on the websites to display personalised advertisements for you. These third parties may monitor your internet behaviour through these cookies. By clicking ‘agree’ next to this or by continuing to use this website, you thereby give consent for the placement of these cookies. If you would like to know more about cookies or adjusting your cookie settings, please read KLM’s cookie policy.

Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

Nyhavn: Muito mais que Carlsberg

A história de Nyhavn é quase tão colorida quanto as famosas fachadas das casas ao longo do cais. Navios, marinheiros e muito álcool marcaram a história deste porto. Beber cerveja ainda é o passatempo predileto: em dia de sol, parece que toda Copenhagen vem tomar uma Carlsberg bem gelada no cais. Mas há muito mais em Nyhavn.

Muitas das casas de Nyhavn foram outrora habitadas por artistas e escritores. Hans Christian Andersen morou em 3 casas diferentes ao longo do tempo. Vários de seus famosos contos de fada foram escritos aqui. Andersen viveu muitos anos no número 20, onde escreveu A Princesa e a Ervilha. Mais tarde, mudou-se para o número 67, e depois de 20 anos, mudou-se para o número 18, onde viveu por mais 2 anos.

Fachadas coloridas em Nyhavn
Fachadas coloridas em Nyhavn

Copenhague

Navegando pelo colorido Nyhavn

Copenhagen vista da água

Os vários canais de Copenhagen são perfeitos para um passeio de barco. Dezenas de barcos partem todos os dias de Nyhavn, levando os passageiros a um passeio pelas atrações da orla como a Pequena Sereia e a moderna Casa de Ópera. Há cruzeiros pelos canais, tours hop-on-hop-off e cruzeiros com jantar. Menos conhecido mas fortemente recomendado é o cruzeiro de jazz. Esse barco tem a bordo uma banda de jazz completa e oferece uma hora e meia de passeio pelos pontos altos da cidade.

+ Ler mais

Veja no mapa

Nyhavn, Kopenhagen, Dinamarca

Happy hour no cais

Pode ser difícil escolher entre o grande número de cafés ao longo do cais. Um dos bares mais conhecidos é o Nyhavn 17, um pub muito popular desde o século XVIII. Naquela época, os marinheiros vinham para cá para beber, mas hoje um público diversificado chega para saborear whisky e cervejas variadas. O interior aconchegante do bar é decorado com madeira escura mas o exterior é ainda mais animado: em dias de sol, há mesas no pátio sobre o cais, um ótimo lugar para ver pessoas e observar os barcos indo e vindo.

Entre os anos 1960 e 1980, o bar Hong Kong era o preferido dos marinheiros que desejassem relaxar até o amanhecer. Até hoje, o lugar ainda é muito popular, porque o bar fica aberto quando todos os outros já fecharam. Os barmen servem cerveja 7 dias por semana, 24 horas por dia. Este é o lugar para ir tarde da noite, depois de uma festa, ou para uma xícara de café de manhã cedo.

Bar Nyhavn 17

O monumento Mindeankeret

Na ponta de Nyhavn encontra-se o Mindeankeret, um monumento em forma de uma grande âncora erigido em memória dos oficiais e marinheiros dinamarqueses que morreram na Segunda Guerra Mundial. Mais de 1.700 homens nunca regressaram ao país. O monumento foi primeiro composto por uma cruz de madeira. Em 1951, a cruz foi substituída pela âncora da fragata Funen que estava fundeada na base naval de Holmen durante a guerra. Todo ano, dia 5 de maio, dia em que a Dinamarca foi libertada em 1945, realiza-se uma cerimônia oficial em homenagem aos mortos.

+ Ler mais

O memorial da âncora

Veja no mapa

Nyhavn 7, Kopenhagen, Dinamarca