KLM uses cookies.

KLM’s websites use cookies and similar technologies. KLM uses functional cookies to ensure that the websites operate properly and analytic cookies to make your user experience optimal. Third parties place marketing and other cookies on the websites to display personalised advertisements for you. These third parties may monitor your internet behaviour through these cookies. By clicking ‘agree’ next to this or by continuing to use this website, you thereby give consent for the placement of these cookies. If you would like to know more about cookies or adjusting your cookie settings, please read KLM’s cookie policy.

Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

Piazza Maggiore, no coração da Bolonha

O povo de Bolonha tem se reunido na Piazza Maggiore por séculos. Esta grande praça no coração da cidade é cercada por belas construções medievais, como o Palazzo del Podestà, Pallazo d'Accursio e, claro, a gigante Basílica de Petrônio com a sua fachada cinza inacabada.

Bologna era uma cidade próspera na Idade Média. Durante este período, seus habitantes gozavam de uma considerável liberdade, o comércio de têxteis floresceu e a Universidade de Bolonha, a primeira universidade do mundo, foi fundada. A Piazza Maggiore esteve sempre no coração desta cidade progressista. Este centro comercial lotado atraía comerciantes de todo o mundo, e o governo da cidade desempenhava as suas funções nos “palazzi” em volta. A melhor maneira de relaxar e desfrutar da Piazza Maggiore é agir como um estudante e sentar em um café ao ar livre, pedir uma taça gelada de Chianti e apreciar a vista.

Passado inacabado

Olhe para cima e você quase poderá ler a rica história de Bolonha a partir das fachadas de seus edifícios. A fachada inacabada da Basílica de San Petrônio imediatamente chama a atenção. As primeiras pedras da igreja foram colocadas em 1390, mas a construção se estendeu por séculos. Quando a prefeitura encomendou sua construção, nenhuma solicitação de aprovação foi enviada ao bispo. Afinal, a basílica tinha sido pensada para representar a cidade livre de Bolonha, que não estava sob o jugo da diocese. Mas o Papa não ia permitir que isso acontecesse sem uma briga, e ele pôs fim ao projeto ambicioso, construindo o edifício da Universidade Archiginnasio junto ao canteiro de obras. O Papa queria todas as disciplinas universitárias alojadas no mesmo edifício.
Devido a uma falta de financiamento e problemas técnicos, a construção da basílica chegou a um impasse e a fachada nunca foi concluída. O Archiginnasio atualmente abriga a Biblioteca Municipal.

+ Ler mais

O átrio de Archiginnasio

Grande, maior, maior ainda

A igreja já é formidável em tamanho, mas foi originalmente projetada para superar até a Basílica de São Pedro de Roma. Embora a fachada esteja inacabada, certamente vale a pena fazer uma visita à construção. No interior, belos afrescos de Giovanni da Modena e Jacopo di Paolo adornam as paredes, e a própria basílica abriga um dos mais antigos órgãos em funcionamento em todo o mundo, que remonta ao século 15. A ciência também é representada na igreja, que possui o maior relógio de sol do mundo e também um pêndulo de Foucault.

O mais antigo palácio na Piazza Maggiore

Do outro lado da basílica está o palácio mais antigo da Piazza Maggiore, o Palazzo del Podestà. Ele foi construído por volta do ano 1200 e serviu como sede do "podestà”, o maior administrador da cidade e seus colegas. O palácio rapidamente ficou muito pequeno para todos os cidadãos que estavam envolvidos no conselho da cidade e por isso o Palazzo Re Enzo foi construído como uma extensão. A Torre dell'Arengo datada de 1453 é digna de nota. Esta torre abriga o maior sino de Bolonha, que é usado para alertar o povo sobre uma emergência. Dica: fique embaixo de um lado das abóbadas e você poderá ouvir alguém sussurrando do outro lado.

+ Ler mais

Palazzo del Podestà e a Torre dell’Arengo

Enzo, o rei aprisionado

O Palazzo Re Enzo recebeu o seu nome pelo rei Enzo da Sardenha, o filho ilegítimo de Frederico II, imperador do Sacro Império Romano. Em 1249, ele sofreu uma derrota em Fossalta e depois foi capturado pelos bolonheses. Durante a noite, ele ficava confinado em uma jaula no Palazzo Re Enzo, mas, durante o dia, ficava livre para fazer o que quisesse, inclusive se encontrar com mulheres. Rumores dizem que ele teve três filhas e um filho. Diz-se que esse filho é o antepassado da família Bentivoglio, que mais tarde se tornou governante de Bolonha. Apesar dos protestos contínuos de seu pai, Enzo permaneceu preso até sua morte em 1272.

A fachada do Palazzo d’Accursio

Palazzo d’Accursio o Comunale

O Palazzo d'Accursio o Comunale é composto por vários edifícios que foram unidos ao longo dos séculos. No século 13, o famoso jurista Accursius viveu aqui e trabalhou na Universidade de Bolonha. Mais tarde, o edifício serviu como sede dos Anziani (Anciãos), os mais altos magistrados da cidade. A fachada tem um portão com ponte levadiça, acima do qual se destaca uma grande estátua de bronze do papa bolonhês Gregorius XIII. O palácio abriga atualmente a Coleção de Arte Municipal, com pinturas da Idade Média até o século 19.

+ Ler mais

Visualização no mapa

Palazzo d’Accursio o Comunale, Piazzo Maggiore, Bolonha, Itália

Créditos das fotos

  • Palazzo del Podestà e a Torre dell’Arengo: magro_kr, Flickr
  • A fachada do Palazzo d’Accursio: Marco Assini, Flickr