KLM uses cookies.

KLM’s websites use cookies and similar technologies. KLM uses functional cookies to ensure that the websites operate properly and analytic cookies to make your user experience optimal. Third parties place marketing and other cookies on the websites to display personalised advertisements for you. These third parties may monitor your internet behaviour through these cookies. By clicking ‘agree’ next to this or by continuing to use this website, you thereby give consent for the placement of these cookies. If you would like to know more about cookies or adjusting your cookie settings, please read KLM’s cookie policy.

Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

Vistas poéticas de Hangzhou

O Lago Oeste de Hangzhou é um pedaço de paraíso na terra, dizem os chineses. Famosos pintores, poetas e escritores vêm para cá em busca de inspiração e se apaixonam tanto pelos jardins, pagodes e ilhas do lago que nunca mais vão embora. Graças em parte aos viajantes que mais tarde descobriram a região, ainda mais lagos e templos foram incluídos ao longo do século passado.

Hoje, o Lago Oeste é uma paisagem cultural. Ele passou por transformações desde o século IX: templos, pagodes, pavilhões, jardins e até ilhas completas foram construídos. Para sugerir uma harmonia perfeita entre a natureza e a cultura, alguns dos lugares mais atraentes receberam nomes poéticos. Lua de Outono sobre o Lago Tranquilo e Neve Remanescente sobre a Ponte no Inverno soam tão sonhadores e românticos... Esses lugares fascinantes são mais bem visitados de bicicleta ou barco.

Lago Oeste ao pôr do sol
Lago Oeste ao pôr do sol

Hangzhou

A lenda da serpente

O povo de Hangzhou é bastante supersticioso e isso fica evidente na história do Pagode Budista Leifeng. Esse pavilhão às margens do lago foi construído em 975 por ordem do Rei Qian Chu em homenagem a uma de suas concubinas. Durante a Dinastia Ming, os japoneses atearam fogo à construção; no entanto, ela sobreviveu milagrosamente. Como os visitantes supersticiosamente retiravam tijolos como um talismã para afastar a doença e outros males, o pagode desmoronou em 1924. Isso pode soar como um triste fim para um pagode de mil anos de idade. Mas havia um motivo para celebração. Para os chineses, a área ao redor de Hangzhou está mesclada à lenda popular da serpente branca, um dos contos populares mais conhecidos da China. Conta a lenda que uma senhora serpente foi trancada no Pagode Leifeng. Quando a construção ruiu, os locais tiveram a esperança de encontrar pistas que indicassem que a história era real, mas nunca as acharam. A torre foi reconstruída e está aberta à visitação, da mesma forma que as ruínas da ponte que conduzia ao pavilhão. Uma bicicleta de aluguel é a maneira perfeita de explorar as duas represas no lago, as pontes e parques. Há muitas casas de chá ao redor do lago se você precisar fazer uma pausa e se você passar pela Ponte Quebrada (Broken Bridge) em seu caminho, lembre-se de admirar a vista espetacular.

“Provérbio chinês: “Acima de tudo existe o céu, aqui na terra nós temos Suzhou e Hangzhou””

Teatro sobre a água

Todos os dias ao anoitecer, o Lago Oeste se transforma no cenário de um show ao ar livre em que barcos, lanternas, tambores, música e centenas de dançarinos em um palco (sobre a superfície da água) proporcionam um espetáculo único. Nuvens de neblina sobre a água reforçam a atmosfera misteriosa. Embora nenhuma palavra seja pronunciada, “Impressions of West Lake” conta a história de um amor impossível. O show é dirigido por Zhang Yimou, o famoso cineasta que também dirigiu a cerimônia de abertura das Olimpíadas de Pequim, em 2008.

Uma cena de “Impressions of West Lake”