KLM uses cookies.

KLM’s websites use cookies and similar technologies. KLM uses functional cookies to ensure that the websites operate properly and analytic cookies to make your user experience optimal. Third parties place marketing and other cookies on the websites to display personalised advertisements for you. These third parties may monitor your internet behaviour through these cookies. By clicking ‘agree’ next to this or by continuing to use this website, you thereby give consent for the placement of these cookies. If you would like to know more about cookies or adjusting your cookie settings, please read KLM’s cookie policy.

Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

Relaxando no Golden Gate Park

Com dois museus, uma variedade de jardins e vegetação a perder de vista, a melhor descrição do Golden Gate Park talvez seja a de playground de San Francisco. Originalmente ocupado por enormes dunas de areia, a construção começou em 1871 para criar um parque que seria maior que o Central Park de Nova York. O oásis verde atrai agora 13 milhões de visitantes por ano.

O engenheiro civil William Hammond Hall e o horticultor John McLaren projetaram juntos um parque público cheio de instalações recreativas e uma enorme variedade de flora e fauna. Esta não era uma tarefa fácil, em um pedaço de “praia” bastante árida, e no entanto 60 mil árvores foram plantadas em um período de 4 anos e meio. Ao longo dos anos, o parque foi expandido e mais e mais jardins, museus e outras construções foram adicionadas.

Golden Gate Park: um oásis verde
Golden Gate Park: um oásis verde

São Francisco

O jardim de chá japonês

O tradicional chá japonês

O jardim de chá japonês é uma parte extremamente popular do parque. Este jardim foi criado originalmente para a Exposição Internacional California Midwinter de 1894 e abrange várias trilhas tortuosas, riachos idílicos, pontes japonesas e esculturas elegantes – tudo reunido em perfeita harmonia. Naturalmente existe também uma casa de chá onde o tradicional chá japonês é servido – com um biscoito da sorte.

O ponto mais alto do parque

O maior lago no Golden Gate Park é o Stow Lake, onde se pode alugar um barco ou pedalinho e fazer um passeio próprio em torno de Strawberry Hill. Essa ilha situa-se no meio do lago e deve seu nome aos morangos silvestres (strawberries, em inglês) que aí existiam. Ela é também o ponto mais alto do parque. Entre as árvores, você pode apreciar vistas deslumbrantes do parque, da Ponte Golden Gate e da cidade. A ilha pode ser acessada por duas pontes que conduzem à trilha que termina no topo do morro. Não esqueça de visitar a cascata que cai das rochas.

“Strawberry Hill oferece vistas fantásticas da Ponte Golden Gate”

O Moinho de Vento Holandês

Tulipas e moinhos de vento

Logo depois da praia, na ponta oeste do parque, situam-se duas estruturas que chamam a atenção: dois moinhos de vento em estilo holandês em meio à paisagem verde. Como o solo nessa área era muito árido, esses dois moinhos de vento eram necessários para bombear a água do subsolo para irrigar os numerosos campos gramados e jardins. Atualmente não estão mais em uso e servem basicamente para decoração. Aos pés do Moinho de Vento do Norte – também conhecido como Dutch Windmill (Moinho de Vento Holandês) – fica o Jardim de Tulipas Queen Wilhelmina, que se enche de flores em março e abril.

Várias atrações debaixo de um mesmo teto

Uma construção que chama realmente a atenção é a Academia de Ciências da Califórnia (California Academy of Sciences), inaugurada em 2008 e projetada pelo renomado arquiteto italiano Renzo Piano. A sustentabilidade foi o foco primário da construção do complexo, que exibe um “telhado vivo”: um jardim completo com cerca de 1,7 milhões de plantas.
Dentro do prédio ficam o Morrison Planetarium, Steinhart Aquarium, Kimball Natural History Museum e os 4 andares do domo da Rainforest of the World (Floresta Tropical do Mundo). Vale a pena visitar a exposição Earthquake, que simula os piores terremotos da história de San Francisco (em 1906 e 1989). Os visitantes podem reviver os tremores na Shake House: um edifício vitoriano reconstruído com vistas sobre as famosas casas coloridas (as Painted Ladies) de Alamo Square. Você pode também sentir perfeitamente a diferença entre os dois tremores. “Divertida” não parece ser a melhor palavra para descrever essa experiência, mas é definitivamente sensacional.

O telhado sustentável