KLM uses cookies.

KLM’s websites use cookies and similar technologies. KLM uses functional cookies to ensure that the websites operate properly and analytic cookies to make your user experience optimal. Third parties place marketing and other cookies on the websites to display personalised advertisements for you. These third parties may monitor your internet behaviour through these cookies. By clicking ‘agree’ next to this or by continuing to use this website, you thereby give consent for the placement of these cookies. If you would like to know more about cookies or adjusting your cookie settings, please read KLM’s cookie policy.

Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

Tome o bonde 28 para passear pela Lisboa histórica

Os bondes amarelos rangentes da empresa de transporte público Carris parecem pertencer a um museu. Eles são uma das melhores maneiras de passear pela cidade. O bonde 28 é famoso, levando os passageiros por uma viagem de 40 minutos ladeira acima (ou abaixo) por bairros antigos como Graça, Alfama e Baixa, passando por pontos históricos, incluindo a catedral e o castelo. Todos a bordo!

Lisboa é uma das capitais mais baratas da Europa Ocidental. Mas isso não se aplica necessariamente ao transporte: um passeio num ônibus turístico de dois andares custa cerca de 15 euros. O passe diário de 6 euros para o bonde é uma solução muito mais barata e lhe permite andar de bonde por toda a cidade por um dia inteiro. Nem é surpresa que a linha 28 seja tão popular entre os turistas. Embarque no bonde antigo amarelo e sente-se para uma rápida e sacudida viagem pelas ruas tortuosas de Lisboa.

Explore a histórica Lisboa de bonde
Explore a histórica Lisboa de bonde

Lisboa

Elétrico 28: a rota turística

A partir da introdução do primeiro bonde puxado por cavalos, em 1873, a rede de bondes de Lisboa cresceu enormemente. Na década de 1950, existiam 27 linhas de bonde, das quais hoje só restam cinco. O Bonde 28 – chamado pelos moradores de “Elétrico 28” – é a linha mais popular e vai da Praça Martim Moniz ao bairro de Prazeres.


Segundo a tabela de horários, a viagem deveria levar 40 minutos, mas na verdade o bonde de madeira muitas vezes leva horas para fazer as muitas curvas nas ruas estreitas com um declive de mais de 14 por cento. Pelo caminho, o bonde passa por várias atrações, como o Castelo de São Jorge, pendurado na colina mais alta de Lisboa. Salte aqui e combine uma visita ao castelo centenário com uma xícara de café no Miradouro Largo das Portas do Sol, um terraço panorâmico com vistas espetaculares do bairro de Alfama e das águas azuis do Rio Tejo. Depois, o bonde desce pelas ruas medievais de Alfama para o bairro antigo da Baixa, passando pela Catedral da Sé, outra atração imperdível onde vale a pena fazer uma parada.


A viagem continua pelo charmoso Bairro Alto para o Chiado, um bairro de artistas, e termina em Campo de Ourique, seu ponto final. O mercado diário de alimentos atrai clientes que vêm comprar vegetais, frutas, peixe e carne frescos. À tarde e à noite, o mercado atrai jovens descolados, na faixa dos 30 e poucos anos, que vêm para cá para comer e beber – o lugar perfeito para uma refeição tardia. Bem em frente ao ponto final fica o Cemitério dos Prazeres, onde estão sepultados muitos portugueses famosos. Vale a pena visitá-lo antes de tomar o bonde de volta para o centro da cidade.

Os bondes amarelos têm mais de um século de idade