KLM uses cookies.

KLM’s websites use cookies and similar technologies. KLM uses functional cookies to ensure that the websites operate properly and analytic cookies to make your user experience optimal. Third parties place marketing and other cookies on the websites to display personalised advertisements for you. These third parties may monitor your internet behaviour through these cookies. By clicking ‘agree’ next to this or by continuing to use this website, you thereby give consent for the placement of these cookies. If you would like to know more about cookies or adjusting your cookie settings, please read KLM’s cookie policy.

Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

Saboreie a nova cozinha nórdica em Copenhague

Autêntica, fresca, inovadora e saudável: essas são as características da nova cozinha nórdica, a revolução gastronômica que redefiniu a cozinha da região na última década. No epicentro desse movimento, está Copenhague, onde chefs da Dinamarca, Suécia, Noruega e Finlândia se encontraram em 2004 para debates de alto nível. O tema era o futuro da culinária nórdica, que, segundo eles, precisava voltar às raízes.

A ideia era resgatar o sabor da natureza nos pratos nórdicos com ingredientes frescos da estação. Frutas silvestres indígenas, repolho, arenque, centeio e outros produtos tradicionais escandinavos voltaram a ter lugar de destaque nos menus. Os invernos escuros e as longas tardes de verão fazem que os tubérculos, nabos e frutas brotem do solo nórdico cheios de sabor e de nutrientes. A inovação também era outro elemento importante: técnicas modernas e experimentais permitiram que uma verdadeira revolução na culinária nórdica se desenvolvesse em Copenhague.

A revolução culinária já começou em Copenhague
A revolução culinária já começou em Copenhague

Copenhague

Deliciosos, autênticos e exclusivos

Musgo picante dos bosques ao redor de Copenhague, salmão selvagem báltico e lagostinhas das Ilhas Faroé: produtos regionais especiais e técnicas culinárias inovadoras permitem que os chefs René Redzepi e Claus Meyer criem os pratos mais exclusivos para seus clientes. Sob o comando desses chefs inspiradores, o restaurante Noma, em Strandgade, Copenhague, se mantém entre os melhores do mundo há anos. O clima é acolhedor e informal, e os chefs às vezes vão até as mesas, despejam o molho direto da panela e contam a história do prato para o cliente.

O grande sucesso do Noma gerou uma verdadeira febre culinária: muitos restaurantes de Copenhague agora servem a nova cozinha nórdica, cada um a sua maneira. O Kodbyens Fiskebar, administrado por Anders Selmer, antigo sommelier do Noma, é um bar de frutos do mar que trabalha com produtos pescados nas águas da Dinamarca e das redondezas. Os pratos são preparados sem complicação e os ingredientes são produtos locais cheios de sabor. Sente-se no bar e saboreie mexilhões Limfjord e ostras frescas a preço de barganha.

As mentes por trás do restaurante BROR também foram formadas no Noma: Samuel Nutter e Victor Wagman eram sous-chefs do restaurante. Esse estabelecimento também privilegia ingredientes do solo dinamarquês, como a cebolinha, as algas, o arenque e o ruibarbo. As delícias que figuram no cardápio do BROR fazem jus à fama. Os pratos criativos e totalmente fora do comum são um verdadeiro banquete. Experimente o rabanete com creme picante de avelã ou beterrabas com flor de sabugueiro.

Tubérculos e cenouras de Kiselgaarden

Tubérculos biodinâmicos

Os vegetais frescos e saborosos que são transformados em iguarias gourmet nas cozinhas de Copenhague costumam ser produzidos no vilarejo de Ugerløse, no oeste da Zelândia. O jovem e talentoso fazendeiro Ask Rasmussen e seus pais, Lisa e Eigil, cultivam cenouras, tubérculos e ervas típicas da Dinamarca na fazenda biodinâmica de Kiselgaarden. A argila é mais pesada nesse local e cheia de minerais. Os produtos da Kiselgaarden são ansiosamente abocanhados pelos chefs do Noma e de outros restaurantes aclamados.