KLM uses cookies.

KLM’s websites use cookies and similar technologies. KLM uses functional cookies to ensure that the websites operate properly and analytic cookies to make your user experience optimal. Third parties place marketing and other cookies on the websites to display personalised advertisements for you. These third parties may monitor your internet behaviour through these cookies. By clicking ‘agree’ next to this or by continuing to use this website, you thereby give consent for the placement of these cookies. If you would like to know more about cookies or adjusting your cookie settings, please read KLM’s cookie policy.

Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

O coração pulsante da cidade velha

Execuções públicas, touradas e duelos aristocráticos: a retangular Plaza Mayor foi cenário de quase todo tipo de ritual sangrento que se possa imaginar. Hoje é um lugar pacífico, uma praça cheia de lojas e cafés ao ar livre. É o coração vibrante da parte mais antiga da cidade, o bairro Madrid de los Austrias, construído no século XVI pelos Habsburgos.

Passe sob os arcos da Plaza Mayor e você será transportado para o passado. Pequenas lojas vendem estátuas de santos, selos e suvenires, com vitrines e fachadas que permanecem imutáveis há décadas. Os nomes das lojas são exibidos em letras decorativas pintadas nas vitrines ou em tabuletas. No centro da praça há uma estátua equestre de Filipe III, o rei de Habsburgo que ordenou a construção da praça tal como ela é hoje.

Plaza Mayor, o coração pulsante de Madri
Plaza Mayor, o coração pulsante de Madri

Madrid

A história da Plaza Mayor

Tudo começou na Idade Média, com um modesto mercado no mesmo local, fora dos muros da cidade. Chamava-se então Plaza del Arrabal e, mais tarde – mudando ao sabor dos ventos da história – passou a chamar-se Plaza Real de la Constitución, Plaza Real e Plaza de la República. Mas foi sempre conhecida pelos habitantes locais como a “praça principal” – Plaza Mayor. O Rei Filipe de Habsburgo, o Prudente, a considerava uma bagunça e ordenou ao arquiteto da corte Juan de Herrera que a reformasse completamente, tendo a Casa de la Panadería (Padaria), ricamente adornada com afrescos, como sua pièce de résistance. Depois de uma série de incêndios na cidade, a praça ganhou sua forma atual: um retângulo com portões em todos os lados, 2 torres fortificadas, uma frente à outra, e edifícios circundantes vermelho-ocre de 4 andares. O povo de Madri podia também assistir às execuções públicas e touradas de uma das 237 sacadas de ferro forjado debruçadas sobre a praça.

“Execuções públicas e touradas podiam ser observadas de uma das 237 sacadas”

Estátua de Filipe III na praça

Comer e beber na Plaza Mayor

A Plaza Mayor é um cenário popular que atrai milhares de visitantes diariamente. Muitos vêm admirar a grandiosidade da praça histórica, mas também saborear uma xícara de “café con leche” ou um prato de tapas, num dos ensolarados cafés ao ar livre. Reconhecidamente os cafés são turísticos, mas os bares e restaurantes que ficam alguns passos adiante são ainda bastante autênticos. O Mesón de la Guitarra é ótimo para uma taça de vinho gelada ou uma jarra de sangria, enquanto o Museo del Jamon serve cervejas geladas refrescantes e sanduíches de presunto ibérico, e o Mesón del Champiñón oferece uma grande variedade de tapas simplesmente imperdíveis.

Sem tédio na Plaza Mayor

Créditos das fotos

  • Sem tédio na Plaza Mayor: Joerg Hackemann, 123rf