KLM uses cookies.

KLM’s websites use cookies and similar technologies. KLM uses functional cookies to ensure that the websites operate properly and analytic cookies to make your user experience optimal. Third parties place marketing and other cookies on the websites to display personalised advertisements for you. These third parties may monitor your internet behaviour through these cookies. By clicking ‘agree’ next to this or by continuing to use this website, you thereby give consent for the placement of these cookies. If you would like to know more about cookies or adjusting your cookie settings, please read KLM’s cookie policy.

Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

A beleza do Villa Borghese

O Villa Borghese é o maior parque de Roma e um lugar perfeito para fugir da agitação da cidade. Entre os caminhos e canteiros você encontrará esculturas, fontes e templos. A maioria das pessoas vai ao parque para visitar seus três museus: a Galleria Borghese, o Museo Nazionale Etrusco e a Galleria Nazionale d’Arte Moderna. Não é à toa que ele também é conhecido como o parque dos museus.

É difícil imaginar, mas essa área já foi uma grande plantação de videiras. Em 1605, ela foi transformada em um parque para o cardeal Scipione Borghese. A extensa coleção de arte do cardeal foi reunida na Villa Borghese, que ele mesmo projetou e que recebeu o seu nome. A mansão foi concebida para refletir uma vila romana clássica, e o parque ao redor foi dividido em três seções: uma floresta, um segmento artístico e uma área selvagem e natural.

A Villa Borghese no parque homônimo
A Villa Borghese no parque homônimo

Roma

Galleria Borghese

Esse é, sem dúvida, um dos museus mais impressionantes de Roma. O imponente Villa do século XVII abriga a extensa coleção de arte do cardeal Scipione Borghese e inclui obras de mestres como Caravaggio, Bernini e Botticelli. É a introdução perfeita à arte do Renascimento e o início do período barroco. O cardeal tinha preferência principalmente pela arte clássica e contemporânea, e por esculturas antigas.
Embora a casa tenha 20 salas, é de um tamanho viável. O andar térreo possui principalmente esculturas, como o famoso "David" de Bernini, além de afrescos e pisos de mosaico romano. O segundo andar é composto pela Galleria Borghese, com a arte renascentista de mestres europeus. Entre elas está a tela La Deposizione di Cristo pintada por Sanzio Raphael. Devido à sua enorme popularidade, há um limite máximo de visitação diário, por isso é recomendada a reserva com antecedência.

A impressionante fachada da Galleria Borghese
Vaso etrusco

Vasos etruscos e arte moderna

Também vale a pena visitar os outros dois museus do parque. Os entusiastas de arte contemporânea irão adorar a Galleria Nazionale d’Arte Moderna. Ela apresenta principalmente obras dos séculos XIX e XX, com ênfase em artistas italianos, assim como em nomes famosos, como Kandinsky, Mondrian e Pollock. O fabuloso Museo Nazionale Etrusco expõe obras de arte desde o período pré-românico, como uma variedade de vasos etruscos. Ele está situado na mansão Villa Giulia, que remonta a 1553 e foi usado como a residência de verão do Papa Júlio III.

Jardins secretos

Uma característica típica de muitos parques e jardins italianos dos períodos da Renascença e Barroco são os giardini segreti ou os jardins secretos. Esses lugares escondidos, muitas vezes perto da casa do proprietário, transmitem sensações de romance e serenidade. Os jardins eram secretos porque apenas o proprietário podia ter acesso a eles e não o público em geral. A Villa Borghese tem dois desses jardins ocultos: o Giardino dei Melangoli e o Giardino dei Fiori. Os jardins são adjacentes à Villa, mas não estão sempre abertos para os visitantes. Porém, é possível ter uma visão desses retiros através das cercas.

Os jardins da Galeria Borghese