KLM uses cookies.

KLM’s websites use cookies and similar technologies. KLM uses functional cookies to ensure that the websites operate properly and analytic cookies to make your user experience optimal. Third parties place marketing and other cookies on the websites to display personalised advertisements for you. These third parties may monitor your internet behaviour through these cookies. By clicking ‘agree’ next to this or by continuing to use this website, you thereby give consent for the placement of these cookies. If you would like to know more about cookies or adjusting your cookie settings, please read KLM’s cookie policy.

Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

As mentes brilhantes de Harvard Yard

Este talvez seja o canto mais erudito da América: a área de 9 hectares que liga várias partes da Harvard University em Boston. Harvard Yard abrange bibliotecas universitárias, dormitórios de estudantes e salas de leitura. Uma caminhada pelo parque é uma introdução agradável à grandiosidade de uma das mais prestigiosas universidades dos Estados Unidos.

Harvard Yard data dos primórdios do século XIX. A grande área gramada cercada é o centro histórico do campus e sua parte mais velha. Parte de Harvard Yard chama-se agora Old Yard. É aqui que se localizam os dormitórios dos calouros, bem como o Massachusetts Hall, que data de 1720 e é o segundo prédio universitário mais antigo dos Estados Unidos. Esta elegante construção abriga o gabinete do Presidente da Harvard University.

Portões de entrada com uma história

Harvard Yard possui 25 portões de entrada de pedra e ferro forjado, cada qual prestando homenagem a uma turma de alunos do fim do século XIX. A tradição de dar a cada turma seu próprio portão de entrada formou-se em 1889. O empresário Samuel Johnston, que se formou em Harvard em 1855, arrecadou fundos para construir um portão que transmitisse grandiosidade e status. Em valores atuais, o “Johnston Gate” (Portão Johnston) custou 250 mil dólares. O projeto foi concebido pelo arquiteto Charles McKim, ex-aluno que não completou os estudos em Harvard. Seu estilo “neogeorgiano” tornou-se muito popular; outros portões e prédios universitários no campus foram mais tarde construídos no mesmo estilo.

O gramado: um oásis para alunos e visitantes

Concebido para todas as estações

O parque, com seus edifícios universitários distintos, pode ser visitado o ano todo. Na primavera e no verão, o verde da grama e das árvores contrasta lindamente com os edifícios de tijolos vermelhos do campus. Sentados em cadeiras coloridas de jardim espalhadas pelo parque, os alunos discutem sobre seus cursos e a vida em geral. No outono, o parque se transforma num mar de tonalidades vermelhas e castanhas. E no inverno, a neve cria um cenário romântico que parece sair diretamente de um romance de Charles Dickens.

Um conto de fadas de inverno
A estátua de John Harvard

“É costume que os estudantes toquem o sapato de John Harvard para atrair boa sorte nas provas”

A estátua das três mentiras

A estátua de John Harvard é um dos lugares mais populares do campus. Um grande número de turistas e estudantes a caminho de uma prova importante irá esfregar a ponta de seu sapato esquerdo para ter boa sorte. Mas a escultura não é o que parece e é também chamada de estátua das três mentiras.


A primeira mentira é que o homem não é John Harvard. Ninguém sabe exatamente qual era a aparência dele; outra pessoa posou como modelo para a estátua, que foi criada em 1884. E, embora o pedestal tenha gravadas as palavras “Founder of Harvard” (Fundador de Harvard), John Harvard não foi o fundador dessa famosa universidade. Ele foi um dos primeiros benfeitores da universidade e doou metade de sua propriedade, assim como sua biblioteca, composta por mais de 400 livros. A terceira mentira está escondida no ano que está escrito no pedestal: 1638. Harvard não foi fundada em 1638, mas em 1636 – o que faz dela a universidade mais antiga dos Estados Unidos.

O sapato esquerdo gasto de John Harvard

Créditos das fotos

  • O gramado: um oásis para alunos e visitantes: Jannis Tobias Werner, Shutterstock