KLM uses cookies.

KLM’s websites use cookies and similar technologies. KLM uses functional cookies to ensure that the websites operate properly and analytic cookies to make your user experience optimal. Third parties place marketing and other cookies on the websites to display personalised advertisements for you. These third parties may monitor your internet behaviour through these cookies. By clicking ‘agree’ next to this or by continuing to use this website, you thereby give consent for the placement of these cookies. If you would like to know more about cookies or adjusting your cookie settings, please read KLM’s cookie policy.

Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

As cavernas da Garganta de Cheddar

A trinta quilômetros a sudoeste de Bristol está a Garganta de Cheddar, uma das paisagens mais populares de Somerset. Este desfiladeiro espetacular é o maior do país. Os penhascos medem até 140 metros de altura. O interior é igualmente impressionante, com inúmeras cavernas e grutas nas faces dos penhascos. Restos pré-históricos dos primeiros habitantes da Grã-Bretanha foram encontrados aqui.

O desfiladeiro e o sistema de cavernas foram formados ao longo dos últimos 1,2 milhões de anos pelo degelo glaciar de várias eras glaciais. O rio Yeo que cortava o desfiladeiro continua a fluir aqui, só que agora ele flui no subsolo. Ele criou cavernas calcárias; as duas maiores, gruta de Gough e gruta de Cox, estão abertas ao público. Um esqueleto completo de 9.000 anos de antiguidade de um morador da caverna, conhecido como homem de Cheddar, foi encontrado na gruta de Gough.

Cheddar Gorge
Cheddar Gorge

Bristol

Uma paisagem de conto de fadas

Os penhascos e encostas da Garganta de Cheddar formam um mosaico de habitats, coberto com plantas finas, arruda e um tipo raro de cravo chamado Cheddar Pink. É tão charmoso e encantador em cima, quanto escuro e misterioso embaixo. Grandes colônias de morcegos vivem nas grutas e cavernas, entre os ossos roídos dos seus habitantes canibais.

É o tipo de paisagem que faz a imaginação correr solta. Diz-se que foi isso que aconteceu com J.R.R. Tolkien, que passou a lua de mel aqui em 1916. A trilogia “O Senhor dos Anéis” pode ter sido filmada na Nova Zelândia, mas o escritor encontrou sua inspiração em Somerset. A descrição do Abismo de Helm em "As Duas Torres", em particular, é muito semelhante à Garganta de Cheddar. Hoje, um turismo de aventura subterrânea chamado The Crystal Quest, e inspirado pelo mundo de imaginação de Tolkien, leva os visitantes para a gruta de Cox. O resto da caverna, cheia de lagos refletidos e esculturas de calcário, é iluminado de uma maneira de conto de fadas, com um misterioso canto que emana de alto-falantes escondidos.

Caverna Cox's

Homem de Cheddar

O homem de Cheddar, cujo esqueleto de 9.000 anos foi encontrado na caverna de Gough, não foi o primeiro habitante da caverna. Outros restos mortais encontrados têm 12 mil anos. No entanto, ele apela mais para a imaginação já que seu esqueleto é o mais antigo e completo a ser encontrado na Grã-Bretanha. O vinculo com este primeiro “Britânico completo” não só tem um componente emocional, mas quando seu ADN foi comparado aos de estudantes de Cheddar, no final dos anos 90, descobriu-se que ele é um antepassado distante de dois deles. O buraco em seu crânio e sinais de canibalismo encontrados na caverna fazem temer o pior quanto à sua morte.

Cheddar Man

Créditos das fotos

  • Caverna Cox's: Loganatahan Parthipan, Flickr
  • Cheddar Man: Percy, Flickr