KLM uses cookies.

KLM’s websites use cookies and similar technologies. KLM uses functional cookies to ensure that the websites operate properly and analytic cookies to make your user experience optimal. Third parties place marketing and other cookies on the websites to display personalised advertisements for you. These third parties may monitor your internet behaviour through these cookies. By clicking ‘agree’ next to this or by continuing to use this website, you thereby give consent for the placement of these cookies. If you would like to know more about cookies or adjusting your cookie settings, please read KLM’s cookie policy.

Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

As cores da Hundertwasserhaus

Paredes coloridas, linhas irregulares e uma cascata de plantas, a Hundertwasserhaus é uma estrutura muito notável. Projetado em 1983 pelo artista Friedensreich Hundertwasser, o edifício é uma das obras-primas arquitetônicas da Áustria e um dos lugares mais fotografados. Apesar disso, ele causou bastante controvérsia quando ficou pronto em 1985.

Friedensreich Hundertwasser (1928-2000) acreditava que a arquitetura devia estar mais em harmonia com as pessoas e a natureza. Nada de linhas retas pouco naturais, mas formas imprevisíveis e cores vivas. Quando o Prefeito de Viena lhe encomendou o projeto de um prédio de apartamentos, ele incorporou exatamente esta filosofia. Antes de tudo um artista, Hundertwasser recorreu ao arquiteto Josef Krawina para auxiliá-lo. Porém, Krawina ficou muito apegado aos padrões ordenados de linhas retas, motivo pelo qual Hundertwasser acabou chamando o arquiteto Peter Pelikan em seu lugar.

A Hundertwasserhaus em Viena
A Hundertwasserhaus em Viena

Viena

Árvores crescendo pela janela

A Hundertwasserhaus foi construída em dois anos. O complexo é composto por 52 apartamentos, 19 pátios e 250 árvores e arbustos que crescem no telhado – alguns até surgem das janelas de certos cômodos. A vegetação dá vida real ao edifício. Este é também um dos princípios mais sutis da Hundertwasserhaus: o arquiteto desejava que cada árvore ou arbusto que tivesse sido destruído na construção do edifício fosse devolvido ao telhado ou ao próprio complexo. Cada apartamento é único – uma combinação de paredes onduladas, pisos irregulares e fachadas de cores vivas. Os moradores dos famosos apartamentos têm a liberdade de personalizar os parapeitos do jeito que quiserem. Esta é outra característica importante de Hundertwasser, que era um firme defensor da influência das pessoas sobre a arquitetura. Hoje o edifício é valorizado por seu projeto especial, mas quando ficou pronto provocou bastante controvérsia. Muitos críticos até classificaram o prédio de kitsch.

+ Ler mais

Vegetação no telhado
A usina elétrica em Spittelau

O versátil Hundertwasser

Friedensreich Hundertwasser nasceu dia 15 de dezembro de 1928 em Viena. Depois da Segunda Guerra Mundial ele estudou por três meses na Academia de Artes de Viena, onde inspirou-se em artistas como Egon Schiele e Gustav Klimt. Nos anos 1950 e 1960, Hundertwasser era conhecido como artista versátil e teórico da arquitetura. Ele lutou contra o racionalismo na arquitetura e defendeu uma abordagem humana. Além da Hundertwasserhaus em Viena, ele também projetou a usina elétrica no distrito de Spittelau.

A fachada colorida da Hundertwasserhaus

O Museu Hundertwasser

Embora a Hundertwasserhaus só possa ser admirada do lado de fora, a Kunst Haus Wien fica nas proximidades e abriga uma exposição permanente sobre o complexo. A Kunst Haus (Casa das Artes) também foi projetada por Hundertwasser, e é difícil encontrar linhas retas aqui. A fachada é muito parecida com a da Hundertwasserhaus, mas é menos colorida, com muito preto e branco. Dois dos quatro andares do museu são dedicados à Hundertwasserhaus. Os outros dois pisos apresentam exposições temporárias de outros artistas.

Créditos das fotos

  • Vegetação no telhado: Adisa, Shutterstock
  • A fachada colorida da Hundertwasserhaus: Shchipkova Elena, Shutterstock