KLM uses cookies.

KLM’s websites use cookies and similar technologies. KLM uses functional cookies to ensure that the websites operate properly and analytic cookies to make your user experience optimal. Third parties place marketing and other cookies on the websites to display personalised advertisements for you. These third parties may monitor your internet behaviour through these cookies. By clicking ‘agree’ next to this or by continuing to use this website, you thereby give consent for the placement of these cookies. If you would like to know more about cookies or adjusting your cookie settings, please read KLM’s cookie policy.

Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

As enormes cavernas Batu

A apenas 15 quilômetros ao norte de Kuala Lumpur está o santuário hindu mais popular fora da Índia: as cavernas Batu. Esta sequência de cavernas é decorada com um grande número de imagens pintadas de Deuses hindus. A maior caverna é acessada subindo 272 degraus: uma enorme escadaria íngreme usada por peregrinos, turistas e também macacos. Todos os anos, o frenético festival Thaipusam é realizado nestas cavernas.

Por muito tempo, poucas pessoas sabiam da existência dessas cavernas. Apenas no final do século 19 um biólogo americano as encontrou por acidente. Um pequeno altar foi construído nessa caverna enorme, que depois foi chamada de Caverna templo. Apesar de que atualmente na caverna há muitas estatuas religiosas, o mais impressionante continua sendo a própria caverna com seus 100 metros de altura. Em uma caverna menor e mais baixa é possível encontrar muitas histórias da mitologia hindu contadas com desenhos de deuses coloridos.

Estátua do deus hindu Murugan
Estátua do deus hindu Murugan

Kuala Lumpur

Frequentemente redescoberta

As formações rochosas presentes nas cavernas têm aproximadamente 400 milhões de anos. As cavernas têm o nome do rio Batu, que corre pelo distrito de Gombak, ao norte de Kuala Lumpur. Até a descoberta oficial das cavernas, elas eram habitadas principalmente por morcegos. No século 19, imigrantes chineses entravam frequentemente nas cavernas para colher guano (fezes de morcego) para fertilizar as plantações. Também foram descobertos traços dos habitantes originais da Malásia nessas cavernas. Elas se tornaram conhecidas do grande público apenas no início do século passado.

Os indianos eram especialmente atraídos por estas cavernas. Muitos deles se mudaram para a Malásia durante a colonização britânica. Eles trouxeram a religião hindu e encontraram nas cavernas o local perfeito para venerar Murugan, o deus da guerra e da vitória. Desde então, as cavernas Batu são geralmente dedicadas a esta divindade.
A ‘claraboia’ da Caverna templo

O colorido festival Thaipusam

Todos os anos, centenas de milhares de hindus se reúnem nas cavernas Batu para celebrar o Thaipusam. O local fica literalmente repleto de peregrinos. Além dos devotos, esta ocasião excepcionalmente animada também atraí muitos espectadores. Os kavadis são os mais raros: ‘fardos’ que são carregados escada acima por visitantes devotos. Como prova de devoção, as pessoas atam os kavadis ao corpo com ganchos que perfuram a pele, bochechas e língua. Em troca pela dedicação dolorosa, os devotos anseiam pela graça do deus Murugan. Uma estátua dourada do Deus, de 43 metros, se destaca acima da multidão.
Um kavadi perfura a língua e bochechas

Créditos das fotos

  • Um kavadi perfura a língua e bochechas: Kjersti Joergensen, Shutterstock