KLM uses cookies.

KLM’s websites use cookies and similar technologies. KLM uses functional cookies to ensure that the websites operate properly and analytic cookies to make your user experience optimal. Third parties place marketing and other cookies on the websites to display personalised advertisements for you. These third parties may monitor your internet behaviour through these cookies. By clicking ‘agree’ next to this or by continuing to use this website, you thereby give consent for the placement of these cookies. If you would like to know more about cookies or adjusting your cookie settings, please read KLM’s cookie policy.

Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

A fábula da Pequena Sereia

A sereia que trocou seu rabo por pernas em nome do amor, mas teve de abrir mão de sua voz para a bruxa má do mar. Todo mundo conhece a fábula da Pequena Sereia. O escritor dinamarquês Hans Christian Andersen escreveu a história em 1836. Como homenagem, há uma escultura da Pequena Sereia no Cais de Langelinie em Copenhagen.

Ela está sentada sobre uma pedra de granito no bairro do antigo porto de Nyhavn. Involuntariamente, a Pequena Sereia tornou-se uma das atrações mais populares de Copenhagen – diariamente dezenas de visitantes vêm tirar fotos com a estátua. A escultura deve sua existência ao cervejeiro dinamarquês Carl Jacobsen, fundador da Cervejaria Carlsberg. Em 1909, ele assistiu a um balé sobre a Pequena Sereia, baseado na história de Andersen. Jacobsen deixou o teatro tão impressionado com a fábula que pediu ao escultor dinamarquês Edvard Eriksen que criasse uma estátua da Sereia.

Estátua da Pequena Sereia
Estátua da Pequena Sereia

Copenhague

Hans Christian Andersen

Uma trágica história de amor

A Pequena Sereia é a triste história de uma jovem sereia que salva um príncipe de se afogar durante uma tempestade. Ela se apaixona perdidamente por ele e quer trocar o oceano pela terra firme. Para encontrar seu príncipe, ela renuncia a sua voz em troca de um par de pernas. Ela tem três dias para ser beijada apaixonadamente por ele, para poder se transformar em um ser humano. Se ela não conseguir ser beijada, será transformada em espuma do mar. O príncipe fica encantado por sua aparência mas não a reconhece – ele só se lembra de ter sido salvo por uma jovem com uma voz mágica. Por fim, ele se casa com outra. Com o coração partido, a Pequena Sereia se atira do alto de um penhasco e se transforma em espuma do mar.

A estátua tem uma rica história

Uma sereia, dois modelos

Jacobsen empenhou-se em ter a primeira bailarina dinamarquesa Ellen Price como modelo da escultura, mas ela se recusou a posar nua. Finalmente, a própria esposa de Eriksen serviu de modelo para o corpo da Pequena Sereia, enquanto Price cedeu seu rosto para modelar a cabeça da escultura. A obra de 1,25 metros foi inaugurada em agosto de 1913 e correspondia à tendência da época em Copenhagen de decorar os parques e ruas da cidade com esculturas de personagens clássicos e históricos.

Decapitada e copiada

Perde um pouco da magia, mas a estátua do píer é na verdade uma réplica. A original está guardada pelos herdeiros de Eriksen, em local desconhecido. E isso provavelmente é uma coisa boa. Ao longo dos anos, a Pequena Sereia foi danificada várias vezes e até decapitada – em 1964, artistas politicamente engajados do movimento Situacionista decapitaram a estátua. Sua cabeça foi restaurada mas novamente foi cortada em 1998. Como numa história real de crime, a cabeça foi entregue mais tarde anonimamente a um canal local de TV.

A Sereia foi decapitada várias vezes

Créditos das fotos

  • A estátua tem uma rica história: Giovanni Gagliardi, 123rf