KLM uses cookies.

KLM’s websites use cookies and similar technologies. KLM uses functional cookies to ensure that the websites operate properly and analytic cookies to make your user experience optimal. Third parties place marketing and other cookies on the websites to display personalised advertisements for you. These third parties may monitor your internet behaviour through these cookies. By clicking ‘agree’ next to this or by continuing to use this website, you thereby give consent for the placement of these cookies. If you would like to know more about cookies or adjusting your cookie settings, please read KLM’s cookie policy.

Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

O Getty Center: o museu como obra de arte

Utilizando pedra, vidro e metal (e um orçamento de 1 bilhão de dólares), o arquiteto Richard Meier criou o Getty Center. O museu fica no alto de uma colina e os visitantes são atraídos para lá não só por sua ampla coleção de arte, mas também pela magnífica arquitetura.

O magnata do petróleo, J. Paul Getty era um ávido colecionador. Sua coleção particular foi avaliada em milhões de dólares, e em 1954 ele abriu o J. Paul Getty Museum. O museu foi instalado em uma parte de sua vila em Malibu. A coleção de arte rapidamente ultrapassou a capacidade da vila, e Getty incorporou uma segunda mansão, a Getty Villa, que continua aberta ao público. Infelizmente, ele morreu antes de que a construção ficasse pronta, mas doou grande parte de sua fortuna para o museu. Uma grande parte dessa quantia foi investida no Getty Center, inaugurado em 1997.

O J. Paul Getty Museum
O J. Paul Getty Museum

Los Angeles

O Getty Center: arquitetura icônica

Obra-prima arquitetônica

O complexo todo consiste de 11 prédios cercados por belíssimos espaços externos, fontes e esculturas. A coleção de arte de Getty é tão grande que as quatro salas de exposição no Getty Center exibem apenas parte dela. No entanto, muitas pessoas vêm aqui não só pela arte, mas também pela arquitetura peculiar. O arquiteto Richard Meier combinou as superfícies brancas suaves – sua marca registrada – com materiais mais tradicionais, para refletir o sentido da coleção Getty. Predominam as linhas horizontais e formas quadradas. Há tours especiais de arquitetura que ressaltam a visão e a técnica do arquiteto, detalhadamente.

O som da água

O belo Central Garden (Jardim Central), no coração do Getty Center, foi projetado pelo artista Robert Irwin. Uma trilha conduz os visitantes pelo jardim e acompanha um leito d’água que termina desembocando num espelho d’água com um labirinto de azaleias. Ao longo do caminho, preste atenção nos sons mutantes da água: as pedras dentro d’água foram cuidadosamente colocadas para criar vários efeitos sonoros. As plantas junto da água também foram especificamente escolhidas por sua textura e cor.

Os jardins do Getty Center
“Íris” de Van Gogh no Getty Museum

Coleções internacionais no museu

A coleção do museu está distribuída pelos 4 prédios: os Pavilhões Norte, Sul, Leste e Oeste. As mostras incluem arte europeia e norte-americana, da Idade Média aos dias atuais. Obras de pintores famosos, como Van Gogh, Cézanne, Rembrandt e Renoir adornam as paredes. Além de pintura, Getty também colecionava esculturas e arte decorativa. Uma das peças mais conhecidas da coleção é a estátua de bronze de Vênus e Cupido, criada pelo escultor italiano Jacopo Sansovino em 1550.

Experimente o sabor do deserto

Localizado logo depois do Pavilhão Oeste, o South Promontory (Promontório Sul) é uma réplica de uma paisagem do deserto. O jardim está cheio de plantas em vários tons de azul, roxo e cinza, perfeitamente integradas à vegetação do resto da colina. Desse ponto se descortina uma linda vista da cidade. O arquiteto projetou cuidadosamente cada detalhe. Da área de estacionamento na base da colina, os visitantes embarcam num bonde elétrico que os transporta até o Getty Center. O arquiteto Meier projetou o bonde para literalmente mover as pessoas para fora de suas rotinas diárias.

O Getty Center, cercado por vegetação

Créditos das fotos

  • O Getty Center: arquitetura icônica: Visions Of America LLC, 123rf
  • Os jardins do Getty Center: Getty Center