KLM uses cookies.

KLM’s websites use cookies and similar technologies. KLM uses functional cookies to ensure that the websites operate properly and analytic cookies to make your user experience optimal. Third parties place marketing and other cookies on the websites to display personalised advertisements for you. These third parties may monitor your internet behaviour through these cookies. By clicking ‘agree’ next to this or by continuing to use this website, you thereby give consent for the placement of these cookies. If you would like to know more about cookies or adjusting your cookie settings, please read KLM’s cookie policy.

Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

O Império de Henry Ford

Automóveis reluzentes Modelo T (no Brasil chamados de Ford de Bigodes), velhos motores a vapor e a linha de montagem do F-150: o Henry Ford Museum é imperdível para qualquer pessoa com algum interesse em carros. Esse é um pedaço da história norte-americana de classe mundial.

Henry Ford nasceu em Dearborn, um subúrbio de Detroit. Em 1929, ele fundou o Henry Ford Museum e o Greenfield Village. Com o museu ao ar livre, Henry Ford queria retratar a Revolução Industrial e exibir itens de importância histórica. The Henry Ford – como o complexo é hoje conhecido – atrai 1,5 milhões de visitantes por ano e é uma das principais atrações de Detroit.

Superpotência tecnológica

O museu é dividido em várias seções. A maior seção é chamada Driving America e conta a história da indústria automobilística norte-americana. O 15-milionésimo Ford Modelo T e o primeiro Ford Mustang de 1964 estão expostos nessa seção. A seção de Automóveis Presidenciais é também impressionante e inclui a limusine em que John F. Kennedy foi baleado em 1963.
Porém o museu não é exclusivamente focado em carros: ele também conta como os Estados Unidos se desenvolveram como superpotência tecnológica. A seção Made in America apresenta enormes máquinas a vapor, e a área de Home Arts exibe eletrodomésticos através dos tempos. Outra exposição interessante é a do Fokker, um avião de construção holandesa que fez o primeiro voo sobre o Polo Norte, em 1926.

Vários modelos Ford

Uma espiada dentro da fábrica

Uma das mais novas atrações é o Ford Rouge Factory Tour, que abrange cinco seções. A seção mais interessante permite observar de uma passarela a linha de montagem do mais novo Ford F-150. No início do século XX, Henry Ford produziu um enorme impacto com seu processo de produção inovador. Em 1913, Ford foi o primeiro fabricante de automóveis a utilizar uma linha de montagem para produzir carros. Ele acreditava que os carros deviam ser acessíveis a todos, e seu objetivo era produzir carros seguros e baratos. Antes de existir a linha de montagem, um único mecânico de automóveis montava um carro inteiro. Com a introdução da linha de montagem, as tarefas na fábrica foram divididas em várias subtarefas, e cada mecânico passou a ter sua própria especialidade. Graças a esse aumento de eficiência, o preço dos carros foi reduzido. O Ford Modelo T – Ford de Bigodes – foi o primeiro carro a ser produzido dessa forma.

O Ford Rouge Factory Tour
Um cartaz do Mc Donald’s de 1960
Greenfield Village

História norte-americana

Visite também o Greenfield Village: uma exposição ao ar livre composta por 100 prédios históricos dos séculos XVIII e XIX. Visitar o Village é como viajar de volta para o passado: ande pela antiga ferrovia, visite a fábrica de bicicletas dos irmãos Wright e veja a casa onde Henry Ford nasceu em 1863. Você também pode dar uma volta real num verdadeiro Ford Modelo T!

Créditos das fotos

  • Vários modelos Ford: Michael Kappel, Flickr
  • O Ford Rouge Factory Tour: Nicole Yeary, Flickr
  • Um cartaz do Mc Donald’s de 1960: The Henry Ford