KLM uses cookies.

KLM’s websites use cookies and similar technologies. KLM uses functional cookies to ensure that the websites operate properly and analytic cookies to make your user experience optimal. Third parties place marketing and other cookies on the websites to display personalised advertisements for you. These third parties may monitor your internet behaviour through these cookies. By clicking ‘agree’ next to this or by continuing to use this website, you thereby give consent for the placement of these cookies. If you would like to know more about cookies or adjusting your cookie settings, please read KLM’s cookie policy.

Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

A lendária Casa Batlló

Se você caminhar pela avenida Passeig de Gràcia, logo se deparará com a fachada colorida da Casa Batlló. A fachada do edifício merece ser apreciada de perto. Com suas lúdicas janelas arredondadas e seu teto ondulado, o prédio tem uma aura de castelo de conto de fadas. Suas formas e linhas revelam imediatamente a identidade de seu criador: Antoni Gaudí, o arquiteto modernista mais famoso de Barcelona.

A casa foi batizada em homenagem a seu antigo proprietário, Josep Batlló i Casanovas, magnata da indústria têxtil que contratou Gaudí para reformar a casa, em 1904. O arquiteto deu asas à sua imaginação e anunciou que criaria um paraíso na Terra. Após dois anos de reforma, a Casa Batlló ganhou um andar extra e essa maravilhosa fachada. O interior do prédio também passou por alterações significativas. Praticamente não há linhas retas. Gaudí evitou-as ao máximo em seu projeto. E o Señor Batlló conseguiu exatamente o que queria: uma casa extraordinária.

O dragão no telhado

Com um pouco de imaginação, parece que um réptil gigante aterrizou no telhado da Casa Batlló. Talvez Gaudí tenha se inspirado na lenda de São Jorge e o dragão. Diz-se que a torre com sua cruz representa a espada com a qual São Jorge matou o dragão. E os crânios na fachada lembram as vítimas da terrível fera. Outra explicação é que a parte externa simboliza o espírito do Carnaval. De acordo com essa interpretação, o telhado representa o chapéu do bobo da corte, as varandas são máscaras e o mosaico é uma alusão ao confete.
O telhado da Casa Batlló é apenas uma das atrações que chamam a atenção na avenida. Essa quadra da avenida Passeig de Gràcia abriga várias construções modernistas do mesmo período, incluindo construções dos arquitetos Lluís Domènech i Montaner e Josep Puig i Cadafalch. Os moradores de Barcelona a chamam de "Illa de la Discòrdia" ou "Quadra da Discórdia" em referência à concorrência entre os arquitetos.

O telhado ondulado

O interior da Casa Batlló

A Casa Batlló merece ser descrita como um edifício lendário. Quem vê sua fachada exuberante, mal consegue acreditar que ela já foi uma residência. Por esse motivo, conhecer a parte interna é um programa imperdível. Aproveite o longo horário de visitação (das 9h00 às 21h00 com entrada permitida até 20h00). Tente chegar ao pôr-do-sol, quando a luz que passa pelas clarabóias em formato de concha cria um clima de mistério. Não deixe de visitar o escritório do Señor Batlló e o "festejador", um cantinho romântico ao lado da lareira que é perfeito para os apaixonados.

Lareira romântica