KLM uses cookies.

KLM’s websites use cookies and similar technologies. KLM uses functional cookies to ensure that the websites operate properly and analytic cookies to make your user experience optimal. Third parties place marketing and other cookies on the websites to display personalised advertisements for you. These third parties may monitor your internet behaviour through these cookies. By clicking ‘agree’ next to this or by continuing to use this website, you thereby give consent for the placement of these cookies. If you would like to know more about cookies or adjusting your cookie settings, please read KLM’s cookie policy.

Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

Os campos mágicos de arroz de Ubud

Se você for para Bali não pode perder a animada cidade de Ubud. Essa ex-colônia de artistas, com longas ruas sinuosas cheias de escolas de yoga, lojas, galerias e templos, é capaz de levar à imaginação qualquer viajante. E não deixe de visitar os campos de arroz nos arredores, onde o sol da manhã colore os terraços com um verde esmeralda brilhante.

É preciso sair apenas um pouco fora de Ubud para se deparar com um panorama magnífico: terraços mágicos de arroz com altas palmeiras, riachos e caminhos onde as crianças locais andam a caminho da escola. Beba o leite de coco diretamente da fruta, observe os beija-flores e descubra como o arroz é colhido durante uma caminhada ou passeio de bicicleta ao longo das sawas.

Cativantes campos de arroz
Cativantes campos de arroz

Denpasar-Bali

Uma viagem pelos campos de arroz

Bons passeios podem ser feitos dentro e ao redor de Ubud. Embora você possa explorar facilmente o local por conta própria, um guia irá garantir que você conheça Bali ainda melhor. Muitos passeios começam no Templo Taman Sari e o levam às aldeias tradicionais, vastas sawas e ao Templo Bukit. Também é possível descobrir os campos de arroz ao norte de Ubud sozinho, caminhando da rua principal Jalang Raya Ubud até Kutuh. Em Tegallalang, a poucos quilômetros ao norte de Ubud, há um lindo caminho ao longo dos terraços de arroz que é fácil de percorrer. O ponto de vista dos terraços é maravilhoso, não é difícil entender por que esse lugar é retratado em tantos cartões postais.

Colhendo o ouro branco

O clima sempre quente e úmido permite que o arroz possa ser plantado e colhido em Bali durante todo o ano. Essa é uma tarefa demorada e trabalhosa. Embora os agricultores mais ricos, muitas vezes, tenham búfalos puxando o arado, a maior parte do trabalho é feita por pessoas. Pode ser fascinante de ver, mas é um trabalho muito difícil para os balineses que, no entanto, mantêm a simpatia e o sorriso no rosto. Com chapéus de cana em suas cabeças para se protegerem do sol forte, eles trabalham incansavelmente desde cedo da manhã até o final do dia. Os caules de arroz são cortados com uma foice com um poderoso movimento de queda e as mulheres, na sequência, batem as hastes em cachos grandes contra um barril para liberar os grãos de arroz. Depois disso, esse ouro branco é transferido para grandes cestos. O arroz tem muitos usos nessa região: pessoas que participam de cerimônias são apresentadas com um grão de arroz na testa e o arroz serve como uma forma de sacrifício nos templos. Claro, você também irá encontrar arroz no seu prato.

Colheita de arroz

Sacrifício aos deuses

Além de ser a fonte da vida, o arroz em Bali também é uma oferenda valiosa para acalmar os deuses. O arroz vermelho, amarelo, branco e preto é apresentado aos deuses hindus em uma cesta de folha de palmeira junto com flores e incenso. Os balineses trazem oferendas aos templos, muitas vezes, três vezes ao dia. Os ocidentais tem que se acostumar a sempre desviar dessas pequenas obras de arte, pois as ofertas são normalmente deixadas no chão. As pessoas pisam nelas por acidente, mas não se preocupe: depois que o ritual de oferenda termina, as cestas já não tem valor, e os cães e macacos fogem com elas.