KLM uses cookies.

KLM’s websites use cookies and similar technologies. KLM uses functional cookies to ensure that the websites operate properly and analytic cookies to make your user experience optimal. Third parties place marketing and other cookies on the websites to display personalised advertisements for you. These third parties may monitor your internet behaviour through these cookies. By clicking ‘agree’ next to this or by continuing to use this website, you thereby give consent for the placement of these cookies. If you would like to know more about cookies or adjusting your cookie settings, please read KLM’s cookie policy.

Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

O mistério da Sagrada Família

Se alguém deixou sua marca em Barcelona foi o arquiteto Antoni Gaudí (1852-1926). Sua obra-prima absoluta é sem dúvida a mundialmente conhecida Basílica da Sagrada Família. Embora a construção tenha sido iniciada em 1882, até hoje a basílica continua inacabada. Na verdade, levará cerca de 30 anos a partir de hoje para que a construção seja completamente acabada.

O projeto original da basílica não foi feito por Gaudí, mas pelo arquiteto Francisco de Paula del Villar. Ele projetou uma igreja neogótica e iniciou a construção em 1882. No entanto, um ano depois, Gaudí o substituiu. Ele dedicou quase toda a sua vida a construir sua Sagrada Família – com ênfase para ‘sua’, porque Gaudí mudou o projeto original drasticamente. O estilo neogótico foi descartado e substituído pelo estilo modernista peculiar do arquiteto. Infelizmente, quando Gaudí morreu (em 1926), apenas 1 fachada, 1 torre, o nicho semicircular e a cripta estavam prontos.

O imponente interior
As novas torres em construção

Improvisação permanente

Como Gaudí improvisava permanentemente durante a construção, há poucos projetos e maquetes da basílica. Apesar disso, os arquitetos atuais têm uma boa ideia das intenções de Gaudí. Quando estiver pronta, La Sagrada Família terá 18 torres no total. Atingindo uma altura entre 90 e 120 m, as 4 torres em cada uma das 3 fachadas representam os 12 apóstolos. Outras 4 torres representam os 4 evangelistas; estas torres rodearão a torre maior, com 170 m de altura, dedicada a Jesus Cristo. A última torre, dedicada à Virgem Maria, será construída sobre o nicho semicircular.

A cripta de Gaudí

Após a morte de Gaudí, a construção foi muitas vezes adiada devido à falta de dinheiro e à Guerra Civil Espanhola. Somente a partir de meados da década de 1950 o ritmo foi retomado. Em 2000, o telhado foi finalmente colocado sobre a nave central. Atualmente, os construtores estão trabalhando na nave e na fachada principal. Mesmo assim, La Sagrada Família está longe de ser terminada, embora a basílica, a cripta e o museu estejam abertos ao público. Aqueles que não sofrem de medo de altura ou claustrofobia podem também visitar as torres. Tome o elevador – ou ande por um longo caminho – até o topo para apreciar uma vista fantástica de Barcelona. À noite, La Sagrada Família é lindamente iluminada, o que destaca ainda mais seus materiais de construção angulares, ilustrando porque se diz que a igreja é construída de ossos.