KLM uses cookies.

KLM’s websites use cookies and similar technologies. KLM uses functional cookies to ensure that the websites operate properly and analytic cookies to make your user experience optimal. Third parties place marketing and other cookies on the websites to display personalised advertisements for you. These third parties may monitor your internet behaviour through these cookies. By clicking ‘agree’ next to this or by continuing to use this website, you thereby give consent for the placement of these cookies. If you would like to know more about cookies or adjusting your cookie settings, please read KLM’s cookie policy.

Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

A Rota Panorâmica

Aqueles que dirigem de Johannesburg para o Parque Nacional Kruger apreciam uma variedade de paisagens e cenários ao longo do caminho. O trecho mais lindo desta viagem é conhecido como Rota Panorâmica. No limite onde o Hoogveld de Gauteng abre caminho para uma planície aberta, altas falésias erguem-se sobre vales verdes, com belas cachoeiras e formações rochosas impressionantes.

Há um motivo pelo qual esta estrada é conhecida como a Rota Panorâmica. As maiores atrações ao longo do caminho não são as trilhas de mountain bike ou as tirolesas, mas as vistas. As vistas mais espetaculares podem ser vistas facilmente em um dia. Embora não exista um ponto oficial de partida ou de término, a maioria das pessoas em geral começa o passeio na cidade de Graskop e termina a rota na pousada no Parque Nacional Kruger.

Vista da «Janela de Deus»

Janela de Deus

Perto de Graskop parece que o solo desaparece e cede lugar a um panorama africano de tirar o fôlego: a «Janela de Deus». A vista se estende sobre uma paisagem pré-histórica em direção ao Parque Nacional Kruger, livre de qualquer intervenção humana até onde o olho alcança. A trilha de caminhada que leva até o mirante é repleta de plantas nativas, samambaias, árvores e flores. O mirante “divino” atinge o auge de sua beleza logo antes do pôr do sol: vale a pena ir para Graskop na noite anterior ao início da rota.

Joias da natureza

Pare em Bourke’s Luck Potholes e faça uma pequena caminhada para admirar uma paisagem única. No lugar onde os rios Blyde e Treur correm juntos, a água estrondosa esculpiu enormes grutas nas rochas. A paisagem ao redor mostra pontes e quedas d’água de contos de fadas. O lugar recebeu o nome do garimpeiro Tom Bourke, que veio para cá durante a corrida do ouro na esperança de ficar rico. O único tesouro que ele encontrou foi essa linda região natural.

Nada de ouro, mas inúmeras joias
As formações rochosas parecem cabanas

A visão de trigêmeos gigantes

As "drie rondavels" são formações rochosas redondas que parecem cabanas redondas tradicionais africanas. Mas essas cabanas seriam apropriadas para gigantes já que se elevam a 700 metros acima do Blyde River Canyon. Os “telhados” pontudos são cobertos de grama e arbustos. Somente o próprio cânion consegue desviar as atenções: trata-se de uma das maiores gargantas do mundo e mais verdes, com cerca de 700 metros de profundidade. Observe com atenção as profundezas do cânion e você poderá avistar alguns pontos cinzentos na água cintilante do rio Blyde: são hipopótamos.