KLM uses cookies.

KLM’s websites use cookies and similar technologies. KLM uses functional cookies to ensure that the websites operate properly and analytic cookies to make your user experience optimal. Third parties place marketing and other cookies on the websites to display personalised advertisements for you. These third parties may monitor your internet behaviour through these cookies. By clicking ‘agree’ next to this or by continuing to use this website, you thereby give consent for the placement of these cookies. If you would like to know more about cookies or adjusting your cookie settings, please read KLM’s cookie policy.

Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

O Teto da África

Uma montanha nevada ao longe no horizonte é uma visão rara na África. Mesmo assim, o Monte Kilimanjaro é tão africano quanto os leões e as girafas. Devido à sua localização privilegiada, o Teto da África é muito popular entre caminhantes e alpinistas. Aqueles que preferem não empreender a longa jornada ao cume ainda assim podem apreciar a paisagem espetacular ao seu redor.

Na verdade, o Monte Kilimanjaro compreende três vulcões e, junto com a área circundante, tornou-se parte do Parque Nacional de Kilimanjaro em 1973. Hoje o parque abrange 75.575 hectares, incluindo floresta tropical, desertos montanhosos e glaciares. O pico mais alto (numa altitude de 5.895 metros) eleva-se cinco quilômetros acima da paisagem, conquistando para o Monte Kilimanjaro o título de montanha independente mais alta do mundo.

Pôr do sol no Monte Kilimanjaro
Pôr do sol no Monte Kilimanjaro

Kilimanjaro

Para o alto

O cume do Monte Kilimanjaro é acessível a todos que têm um bom preparo físico, embora seja uma longa subida até o topo. O cume fica a uma elevação de quase seis quilômetros, e a paisagem ao redor encontra-se numa altitude média de 900 metros. Não é necessário um equipamento de escalada, e a maioria das pessoas chega até a borda da cratera com nada além de um bastão de caminhada, pela trilha que vai subindo gradualmente. Mas agasalhos e perseverança são essenciais. Embora a rota espetacular comece nos trópicos, ela termina na neve. Nas florestas verdes, na base, você verá elefantes, leopardos, macacos e búfalos; no topo, prepare-se para ver apenas uma vegetação resistente às intempéries e líquens que conseguem se agarrar às rochas. Mesmo a rota mais fácil requer pelo menos cinco dias e noites, permitindo que os caminhantes se adaptem aos poucos à altitude. E seria uma pena apressar-se, já que a paisagem e as vistas ao longo do caminho merecem tanta atenção quanto o cume mais alto, Uhuru Point.

O ponto mais alto da África
A suprema recompensa

Tours de um só dia

É claro que nem todos sonham em chegar ao cume nevado do Monte Kilimanjaro. As encostas desse estratovulcão também oferecem muitas atrações e atividades. As muitas trilhas de caminhada nas regiões mais baixas do parque são as mais acessíveis. Com um veículo com tração nas 4 rodas, pode-se visitar o Shira Plateau, conhecido por sua rica fauna. Os amantes da pesca ficarão animados em lançar sua vara de pesca e pegar algumas trutas nas águas azul-turquesa do Lago Chala, no lado oriental do parque.

+ Ler mais

Lago Chala

Veja no mapa

Kilimanjaro National Park

Créditos das fotos

  • Lago Chala: Flickr: Peter Steward