KLM uses cookies.

KLM’s websites use cookies and similar technologies. KLM uses functional cookies to ensure that the websites operate properly and analytic cookies to make your user experience optimal. Third parties place marketing and other cookies on the websites to display personalised advertisements for you. These third parties may monitor your internet behaviour through these cookies. By clicking ‘agree’ next to this or by continuing to use this website, you thereby give consent for the placement of these cookies. If you would like to know more about cookies or adjusting your cookie settings, please read KLM’s cookie policy.

Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

Sydney Opera House: pura elegância

Sydney Opera House (Casa de Ópera de Sydney), na baía, parece uma frota de barcos à vela ao sabor do vento. Em 1955, o governo australiano lançou uma concorrência para o projeto de um novo prédio de ópera e teatro. O projeto vencedor logo se transformou num ícone mundialmente famoso.

O criador da construção futurística foi o arquiteto dinamarquês Jørn Utzon (1918-2008): seu projeto audacioso imediatamente se destacou dos outros. Utzon era um velejador ávido e os grandes telhados brancos simbolizam sua paixão pelo esporte. É também uma referência maravilhosa para a localização do prédio na Baía de Sydney.

As “velas” brancas da Sydney Opera House

Projeto complicado

Não foi fácil construir o projeto de Utzon. A construção das “velas” brancas revelou-se um enorme desafio técnico, e passaram-se quatro anos até que a solução fosse encontrada. A construção completa levou 16 anos. A Sydney Opera House foi inaugurada em 1973 e, apesar de sua existência relativamente curta, tornou-se um ícone querido de Sydney e da Austrália. O arquiteto norte-americano Louis Kahn chegou a dizer: “O sol não sabia como era linda sua luz, até que a viu refletida neste prédio.”

““O sol não sabia como era linda sua luz, até que a viu refletida neste prédio.””

Os telhados brancos refletem o sol
No interior da Opera House

1.600 apresentações por ano

O ano inteiro, a Opera House apresenta musicais, peças, balés e óperas, é claro. Há aproximadamente 1.600 espetáculos por ano. O complexo é composto por 6 diferentes salas que são elogiadas por sua ótima acústica. A maior sala é o Concert Hall. Há também uma grande área externa, chamada Forecourt (Átrio), onde se realizam concertos ao ar livre – um lugar encantador para passar uma noite quente de verão. Uma noite na Opera House não significa necessariamente assistir a uma peça de teatro ou concerto. Numa noite amena de verão em Sydney, o Opera Bar é perfeito para se petiscar ou beber um drinque, ouvindo música ao vivo. O grande terraço proporciona belas vistas da Opera House e da Ponte da Baía.

O terraço do Opera Bar

Sob as velas

Durante o dia, há vários tours ao complexo da Opera House. O tour geral dá aos visitantes uma ideia da história da Opera House e explica sua arquitetura vanguardista. Os interessados na magia do teatro também podem fazer um tour pelos bastidores da casa. Neste tour, as cortinas literalmente são levantadas para revelar os segredos por trás do palco. Como o número de ingressos é limitado por tour, é necessário reservar.

Dê uma olhada sob o telhado

Créditos das fotos

  • As “velas” brancas da Sydney Opera House: gary yim, Shutterstock
  • Os telhados brancos refletem o sol: Dan Breckwoldt, Shutterstock