KLM uses cookies.

KLM’s websites use cookies and similar technologies. KLM uses functional cookies to ensure that the websites operate properly and analytic cookies to make your user experience optimal. Third parties place marketing and other cookies on the websites to display personalised advertisements for you. These third parties may monitor your internet behaviour through these cookies. By clicking ‘agree’ next to this or by continuing to use this website, you thereby give consent for the placement of these cookies. If you would like to know more about cookies or adjusting your cookie settings, please read KLM’s cookie policy.

Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

Tesouros do Palácio Real de Amsterdã

O majestoso Palácio Real na Praça Dam é um dos principais monumentos históricos em Amsterdam. No século XVII, o imponente edifício no centro da cidade foi apelidado de "oitava maravilha do mundo". Hoje em dia ele é usado principalmente para recepções oficiais e eventos reais, embora o interior antigo e a bela coleção de arte sejam abertos ao público em geral durante todo o ano.

O Palácio Real de Amsterdã nem sempre foi um palácio. Originalmente ele foi projetado em 1648 pelo famoso arquiteto Jacob van Campen para ser a nova prefeitura da cidade de Amsterdã. Esse edifício clássico ricamente decorado deveria refletir a grandeza e a riqueza adquirida por Amsterdã na Era de Ouro, uma época de grande prosperidade econômica e cultural. No interior, você ainda pode admirar esculturas detalhadas e pinturas preciosas dessa era, incluindo obras de Rembrandt, Govaert Flinck e Ferdinand Bol.

O Palácio Real em Amsterdã
O Palácio Real em Amsterdã

Amsterdã

De prefeitura a Palácio Real

A cidade mercantil mais importante do mundo no século XVII, Amsterdam precisava de uma prefeitura à altura. A praça Dam, no coração histórico da cidade, foi considerado o local ideal. Na altura de sua conclusão em 1665, a Prefeitura – que é alicerçada por 13.659 estacas de madeira – era o maior edifício público na Europa. O orgulho dos habitantes de Amsterdã foi exemplificado pelo renomado poeta holandês Joost van den Vondel, que comparou o impressionante edifício com "uma noiva que é o centro das atenções no dia de seu casamento".
Somente em 1808 o edifício tornou-se Real quando o rei Louis, irmão do imperador francês, começou a usá-lo como sua moradia. No entanto, ele não desfrutou do edifício por muito tempo; depois que Napoleão foi derrotado em 1813, o príncipe William de Orange devolveu o Palácio de volta para a cidade. O mobiliário do Império, no entanto, ainda está em exibição, composto por cerca de 2.000 peças ─ de móveis de madeira e estofados até lustres de bronze e tapetes únicos.

Mobília antiga decora o interior

Peças da Era de Ouro

O Palácio contém 17 salas majestosas, salas e galerias abertas ao público, e mais importante ainda, o Salão dos Cidadãos, que é o maior salão do Palácio. O espaço simboliza o universo; o piso de mármore possuem mapas do Hemisfério Celestial Norte e também dos hemisférios oriental e ocidental. O Palácio é mais visitado durante suas exposições anuais durante o verão e o outono. No verão, ele exibe a rica história do edifício, além de peças da Idade de Ouro, enquanto que no outono o foco muda para jovens e futuros artistas que foram indicados para o Prêmio Real de Pintura Moderna.

“O salão dos cidadãos simboliza o universo: o piso de mármore possui mapas do Hemisfério Celestial Norte e também dos hemisférios oriental e ocidental.”

Créditos das fotos

  • Mobília antiga decora o interior: SayGoudaCheese, Flickr