Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

Uma cidade com um coração antigo

A rica história de Lima concentra-se no centro histórico da cidade, conhecido pelos limeños (os habitantes de Lima) como Cercado de Lima. A arquitetura consiste de uma coleção interessante de basílicas, conventos, casas e praças do século XVI. Este patrimônio cultural único, às margens do Rio Rimac, foi agraciado com a prestigiosa designação de Patrimônio Mundial da UNESCO.

Francisco Pizarro fundou sua Ciudad de los Reyes, a “Cidade dos Reis”, em 1535. Na verdade, o nome não pegou, mas a cidade se tornou o centro da América do Sul. Por três séculos, Lima foi a capital política, religiosa e econômica do Novo Mundo e residência do vice-rei. Várias autoridades aqui se estabeleceram, rapidamente seguidas por igrejas, conventos, mansões, pontes e praças. Esses impressionantes exemplares da arquitetura colonial evocam uma era do passado.

O mosteiro de San Francisco

Um museu arquitetônico a céu aberto

Parte do centro histórico de Lima é também chamado de “Damero de Pizarro” (“Tabuleiro de Damas de Pizarro”). Essa zona ganhou esta denominação devido às ruas que foram abertas obedecendo a um padrão regular, retilíneo, em forma de grade. A área é muito compacta, e, a partir da Plaza Mayor, antiga Plaza de Armas, a maioria dos monumentos fica a uma curta distância a pé. Preste atenção na Casa de Aliaga, a casa colonial mais antiga da cidade e talvez de toda a América do Sul, e também no Palácio Torre Tagle, a sede atual do Ministério das Relações Exteriores.



Uma das atrações mais impressionantes é o complexo do mosteiro de San Francisco, composto por três igrejas, cinco mosteiros, uma biblioteca e várias criptas. Um guia pode levar você para um tour de 45 minutos pelos edifícios incríveis e seus interiores clássicos, decorados com afrescos, pinturas, entalhes de madeira, milhares de livros antigos encadernados em couro e uma respeitável coleção de arte. As criptas, que até o início do século XIX serviam como cemitério de Lima, são o ponto alto do tour. Mais de 15 mil pessoas encontraram seu repouso eterno aqui.

A famosa sacada

Passeando pelos monumentos históricos de Lima, é difícil não notar as belas sacadas de madeira. Alguns exemplos famosos incluem as da fachada do Palácio do Arcebispo e as sacadas da Casa de Pilatos, Casa del Oidor e Casa Negreiros. Como as sacadas são um elemento característico da arquitetura colonial, a cidade estimula seus habitantes a adotar uma. Isso garante que as sacadas sejam adequadamente mantidas e preservadas como monumento cultural e histórico.

+ Ler mais

As sacadas do Palácio do Arcebispo
Lima, a cidade dos reis

Lima continua sendo Lima

Mesmo antes da chegada de Francisco Pizarro, o assentamento às margens do rio era chamado de Lima. Ninguém sabe ao certo de onde o nome se originou. É possível que tenha se derivado do Aymara, um idioma local em que “lima-limaq” significa flor amarela. A origem também pode ser a palavra quéchua “rimaq”. Rimaq quer dizer “interlocutor”, e os espanhóis pronunciavam a palavra como “limaq”. Embora Pizarro tenha batizado a cidade com o nome promissor de Ciudad de los Reyes (Cidade dos Reis), as pessoas continuaram a chamá-la de Lima.