Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

Um iceberg brilhante de uma casa de ópera

Deveria ser um dos edifícios icônicos modernos da Europa, juntamente com o Museu Guggenheim em Bilbao, a Embaixada Holandesa em Berlim e o Palácio de Artes em Veneza. E foi exatamente isso que aconteceu. O novo lar do Den Norske Opera & Ballett parece flutuar do Oslo Fjord, como um iceberg brilhante. É também a única casa de ópera do mundo em cujo teto você pode subir.

Oslo está se reinventando. Ao subir no teto da casa de ópera, você poderá ver construções e guindastes por todos os lados. Próximo à estação ferroviária central, no coração da cidade, a agitada área do porto está se transformando em um segundo centro, com apartamentos, escritórios, lojas, hotéis e lugares culturais. Um bosque com vista para o mar onde um poderá passear, andar de skate e fazer compras também está sendo criado. A ambiciosa reforma da área deve ser completada em 2020. Uma amostra já foi aberta em 2008: uma casa de ópera no valor de 600 milhões de euros.

A nova Casa de Ópera ao longo do Oslo Fjord
A nova Casa de Ópera ao longo do Oslo Fjord

Oslo

Como um iceberg no Oslo Fjord

Estima-se que a construção da Casa de Ópera custou 1.000 euros por morador, uma quantia exorbitante para um tempo de crise para os olhos de muitos habitantes de Oslo. Mas agora que o edifício, desenhado pela firma de arquitetura Snøhetta, está terminado, os protestos diminuíram e a maioria dos habitantes locais se enche de orgulho dele. A bagunça do edifício de vidro, alumínio tratado, mármore branca e granito verde parece um iceberg brilhante flutuando na água. Esta imagem não é clara no inverno, quando as superfícies curvas estão cobertas de neve e o ‘iceberg’ da casa de ópera se mistura ao gelo que se desprende do Oslo Fjord.
O bizarro exterior pode ser o aspecto mais particular do edifício, mas tampouco se preocuparam em economizar com o interior. Superfícies onduladas de lâminas de carvalho branco cobrem o saguão e os corredores, o vestiário é coberto por vidro geométrico perfurado e uma enorme cortina no salão principal, que possui 1.350 lugares, parece ter sido feito de papel de alumínio amassado. O saguão e o teto estão abertos para visita. Tours guiados são oferecidos em inglês nas segundas, quartas e sextas e nos domingos às 13:00 e nos sábados ao meio dia.

“A Casa de Ópera de vidro e mármore parece um iceberg brilhante flutuando na água”

No mezanino do Opera House

Uma noite de ópera

Este lindo edifício é uma atração bastante popular para uma saída à noite. Cerca de 300 shows são realizados aí por ano. É o lar do Den Norske Opera & Ballett, cujos shows passados incluíram ‘Don Giovanni’ de Mozart e o ‘Lagos dos Cisnes’ de Tchaikovsky. Shows de renomadas orquestras sinfônicas, tais como a Filarmônica de Berlim e a Koninklijk Concertgebouworkest, também já se apresentaram aqui. Cada show no salão principal inclui uma apresentação introdutória gratuita. As entradas variam de 12 (campo) a 120 euros (assentos na fila principal) e podem ser compradas na bilheteria ou online pelo www.operaen.no.

Mármore, madeira e vidro no saguão

Créditos das fotos

  • Mármore, madeira e vidro no saguão: Ron Ellis, Shutterstock