Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

Centro de Arte Reina Sofía

É um dos mais prestigiosos museus de arte do mundo, embora seja bem menos famoso que a Tate ou o Louvre. Talvez isso se deva ao seu nome, muito comprido, ou à sua proximidade com o Museu do Prado, mais famoso, mas com certeza não é por causa de sua coleção. O Museo Nacional Centro de Arte Reina Sofía em Madri abriga grandes nomes da arte mundial como Picasso, Miró e Dalí.

O histórico Hospital de San Carlos, de 1776, passou por uma reforma completa em 1989, projetada pelo arquiteto inglês Ian Ritchie. Três elevadores panorâmicos feitos de vidro e aço foram construídos na fachada externa e, dentro, o edifício foi inteiramente reformado em estilo minimalista. O arquiteto francês Jean Nouvel projetou sua expansão em 2005, para criar mais espaço para a coleção de arte. Afinal, por mais espetacular que seja a construção, o que realmente importa é a arte.

De hospital a templo da arte: Reina Sofía
De hospital a templo da arte: Reina Sofía

Madrid

Joan Miró – Homem com Cachimbo (1925)

O marciano de Miró

Muitas das obras de Miró no Reina Sofía datam de seus últimos anos na década de 1970, quando o mestre catalão já havia adotado o alegre estilo abstrato em cores primárias. Por outro lado, “Hombre com pipa” (“Homem com cachimbo”) é um dos seus primeiros trabalhos. É um retrato surrealista, quase alucinógeno, com sombras matizadas e um traço vermelho, representando o que parece ser um extraterrestre com olhos penetrantes em forma de disco voador e um cachimbo, que admite todo tipo de interpretação.

“O Grande Masturbador”, de Dalí

Esta tela sugestiva é raramente discutida quando se dá aula sobre o trabalho de Dalí nas escolas. Uma formação rochosa no Cabo de Creus na Catalúnia inspirou o artista a pintar o retrato de uma mulher nua, cuja cabeça está inclinada em direção ao testículo de um homem com os joelhos sangrando. Como ocorre em todas as obras de Dalí, tudo é possível, e seus temas são distorcidos, inclinados ou invertidos. Nada é o que parece ser, de forma que o observador rapidamente fica assombrado.

Salvador Dalí – O Grande Masturbador (1929)
Público diante de Guernica de Pablo Picasso (1937)

O pesadelo de Picasso

O destaque incontestável da coleção é a única obra de arte que sempre está pendurada no mesmo local, isto é, na sala 206 do segundo andar. A gigantesca Guernica de Picasso mede 3,5 por 7,8 metros e retrata o horror do bombardeio de Guernica em 1937, quando Hitler destruiu a cidade basca durante a Guerra Civil Espanhola, a pedido de Franco. Mas não passe muito tempo observando-a porque, embora seja a obra mais famosa de Picasso, com certeza lhe dará pesadelos.

+ Ler mais

Veja no mapa

Museo Nacional de Arte Reina Sofía, c/ Santa Isabel 52, Madrid,

www.museoreinasofia.es

Créditos das fotos

  • Joan Miró – Homem com Cachimbo (1925): © Successió Miró, c/o Pictoright Amsterdam 2014. Fundació Joan Miró de Barcelona and Fundació Pilar I Joan Miró a Mallorca. Wolfgang Jung, Flickr
  • Salvador Dalí – O Grande Masturbador (1929): © El Gran Masturbador, 1929 © Salvador Dalí, Fundació Gala-Salvador Dalí, c/o Pictoright Amsterdam 2014. Jack Zalium, Flickr
  • Público diante de Guernica de Pablo Picasso (1937): © Guernica, 1937 © Pablo Picasso’s, c/o Pictoright Amsterdam 2014. Pedro Belleza, Flickr