Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

Vistas poéticas de Hangzhou

O Lago Oeste de Hangzhou é um pedaço de paraíso na terra, dizem os chineses. Famosos pintores, poetas e escritores vêm para cá em busca de inspiração e se apaixonam tanto pelos jardins, pagodes e ilhas do lago que nunca mais vão embora. Graças em parte aos viajantes que mais tarde descobriram a região, ainda mais lagos e templos foram incluídos ao longo do século passado.

Hoje, o Lago Oeste é uma paisagem cultural. Ele passou por transformações desde o século IX: templos, pagodes, pavilhões, jardins e até ilhas completas foram construídos. Para sugerir uma harmonia perfeita entre a natureza e a cultura, alguns dos lugares mais atraentes receberam nomes poéticos. Lua de Outono sobre o Lago Tranquilo e Neve Remanescente sobre a Ponte no Inverno soam tão sonhadores e românticos... Esses lugares fascinantes são mais bem visitados de bicicleta ou barco.

Lago Oeste ao pôr do sol
Lago Oeste ao pôr do sol

Hangzhou

A lenda da serpente

O povo de Hangzhou é bastante supersticioso e isso fica evidente na história do Pagode Budista Leifeng. Esse pavilhão às margens do lago foi construído em 975 por ordem do Rei Qian Chu em homenagem a uma de suas concubinas. Durante a Dinastia Ming, os japoneses atearam fogo à construção; no entanto, ela sobreviveu milagrosamente. Como os visitantes supersticiosamente retiravam tijolos como um talismã para afastar a doença e outros males, o pagode desmoronou em 1924. Isso pode soar como um triste fim para um pagode de mil anos de idade. Mas havia um motivo para celebração. Para os chineses, a área ao redor de Hangzhou está mesclada à lenda popular da serpente branca, um dos contos populares mais conhecidos da China. Conta a lenda que uma senhora serpente foi trancada no Pagode Leifeng. Quando a construção ruiu, os locais tiveram a esperança de encontrar pistas que indicassem que a história era real, mas nunca as acharam. A torre foi reconstruída e está aberta à visitação, da mesma forma que as ruínas da ponte que conduzia ao pavilhão. Uma bicicleta de aluguel é a maneira perfeita de explorar as duas represas no lago, as pontes e parques. Há muitas casas de chá ao redor do lago se você precisar fazer uma pausa e se você passar pela Ponte Quebrada (Broken Bridge) em seu caminho, lembre-se de admirar a vista espetacular.

“Provérbio chinês: “Acima de tudo existe o céu, aqui na terra nós temos Suzhou e Hangzhou””

Teatro sobre a água

Todos os dias ao anoitecer, o Lago Oeste se transforma no cenário de um show ao ar livre em que barcos, lanternas, tambores, música e centenas de dançarinos em um palco (sobre a superfície da água) proporcionam um espetáculo único. Nuvens de neblina sobre a água reforçam a atmosfera misteriosa. Embora nenhuma palavra seja pronunciada, “Impressions of West Lake” conta a história de um amor impossível. O show é dirigido por Zhang Yimou, o famoso cineasta que também dirigiu a cerimônia de abertura das Olimpíadas de Pequim, em 2008.

Uma cena de “Impressions of West Lake”