Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

Serenidade em Bangkok

O Palácio Real, um exemplo ímpar da arquitetura tailandesa, é uma das muitas maravilhas de Bangkok. Cada parte imaginável do complexo é decorada. Os detalhes nas dezenas de milhares de telhas, peças de madeira entalhadas em ouro e os guardas míticos são simplesmente incríveis. Como o complexo é composto por dezenas de edifícios, só uma visita não é suficiente.

O centro antigo de Bangkok está sempre agitado. Tuk-tuks e ônibus urbanos cortam as vias, enquanto crianças brincam com pipas na grama ao lado do palácio murado. Os telhados brilhantes são visíveis da rua, mas a verdadeira beleza do complexo pode ser plenamente apreciada apenas do lado de dentro de seus muros. Aqui, o clima é de calma e tranquilidade, os sons das ruas ao redor são quase imperceptíveis.

Um lugar paradisíaco

O Palácio Real foi construído em 1782, depois que o rei Rama I assumiu o poder que era do Rei Taksin. Esse último teve um palácio na margem ocidental do rio, mas Rama I queria sua própria sede de poder e construiu seu palácio na margem oriental. O palácio foi construído em madeira e os tailandeses estavam convencidos de que o rei era a personificação de sua divindade suprema, Narayana. Porque deuses vivem no céu, carpinteiros e artistas de todo o país asseguraram que o complexo do palácio se tornasse um lugar paradisíaco.

Hoje, o complexo dispõe de galerias, gramados, um mausoléu, uma biblioteca, auditórios, capelas e apartamentos reais. A maior opulência decorativa imaginável pode ser encontrada em toda parte. A Chakri Maha Prasat (Sala do Trono), é um magnífico exemplo disso e apresenta uma mistura especial de arquitetura tailandesa e europeia. Rama V, que foi rei de 1868-1910, originalmente queria um palácio no estilo europeu, cheio de cúpulas, e contratou dois arquitetos britânicos para a tarefa. Seu ministro-chefe aconselhou-o a integrar elementos tailandeses ao projeto, por isso há a presença de telhados típicos tailandeses em verde e ouro.

Um guarda mítico protege o palácio

Em terra sagrada

Para muitos tailandeses, o principal motivo de visitação não é o palácio em si, mas o Templo do Buda de Esmeralda. O exterior do templo é tão impressionante quanto o seu interior. Estupas de ouro e estátuas de guardas míticos emolduram o templo, e em torno dessa coleção de obras de arte budista, há uma parede retratando a história nacional da Tailândia. Metros de murais retratam o Ramakien, o poema épico tailandês, no qual Hanuman e seu exército de macacos e os reis idealistas representam os papéis principais.

Todos os dias, o templo recebe uma procissão de fiéis tailandeses que se ajoelham, rezam e oferecem sua devoção à estátua do Buda de Esmeralda. Essa atenção especial é em parte devido à história da estátua. Durante séculos, ela viajou com o rei de cidade em cidade, e se dizia que trazia boa sorte para todos os que orassem para ela. Verdade ou não, muitos tailandeses dedicam seu tempo para visitar o Buda de Esmeralda. Nunca se sabe…

O mural

O Ramakien ganha vida

Passagens do poema épico Ramakien são representadas em vários teatros de Bangkok. Atores dançam a música tradicional tailandesa com fantoches míticos difíceis de controlar. É uma arte que requer anos de prática. Em alguns teatros, os próprios atores fazem os trajes e encenam os papéis principais. Entre outros teatros, o show pode ser visto no Joe Louis Puppet Theatre, Siam Niramit Theatre e no Teatro Nacional.

Representação de fantoches de Ramakien

Créditos das fotos

  • Representação de fantoches de Ramakien: Duron123, Shutter