Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

Saboreie a nova cozinha nórdica em Copenhague

Autêntica, fresca, inovadora e saudável: essas são as características da nova cozinha nórdica, a revolução gastronômica que redefiniu a cozinha da região na última década. No epicentro desse movimento, está Copenhague, onde chefs da Dinamarca, Suécia, Noruega e Finlândia se encontraram em 2004 para debates de alto nível. O tema era o futuro da culinária nórdica, que, segundo eles, precisava voltar às raízes.

A ideia era resgatar o sabor da natureza nos pratos nórdicos com ingredientes frescos da estação. Frutas silvestres indígenas, repolho, arenque, centeio e outros produtos tradicionais escandinavos voltaram a ter lugar de destaque nos menus. Os invernos escuros e as longas tardes de verão fazem que os tubérculos, nabos e frutas brotem do solo nórdico cheios de sabor e de nutrientes. A inovação também era outro elemento importante: técnicas modernas e experimentais permitiram que uma verdadeira revolução na culinária nórdica se desenvolvesse em Copenhague.

A revolução culinária já começou em Copenhague
A revolução culinária já começou em Copenhague

Copenhague

Deliciosos, autênticos e exclusivos

Musgo picante dos bosques ao redor de Copenhague, salmão selvagem báltico e lagostinhas das Ilhas Faroé: produtos regionais especiais e técnicas culinárias inovadoras permitem que os chefs René Redzepi e Claus Meyer criem os pratos mais exclusivos para seus clientes. Sob o comando desses chefs inspiradores, o restaurante Noma, em Strandgade, Copenhague, se mantém entre os melhores do mundo há anos. O clima é acolhedor e informal, e os chefs às vezes vão até as mesas, despejam o molho direto da panela e contam a história do prato para o cliente.

O grande sucesso do Noma gerou uma verdadeira febre culinária: muitos restaurantes de Copenhague agora servem a nova cozinha nórdica, cada um a sua maneira. O Kodbyens Fiskebar, administrado por Anders Selmer, antigo sommelier do Noma, é um bar de frutos do mar que trabalha com produtos pescados nas águas da Dinamarca e das redondezas. Os pratos são preparados sem complicação e os ingredientes são produtos locais cheios de sabor. Sente-se no bar e saboreie mexilhões Limfjord e ostras frescas a preço de barganha.

As mentes por trás do restaurante BROR também foram formadas no Noma: Samuel Nutter e Victor Wagman eram sous-chefs do restaurante. Esse estabelecimento também privilegia ingredientes do solo dinamarquês, como a cebolinha, as algas, o arenque e o ruibarbo. As delícias que figuram no cardápio do BROR fazem jus à fama. Os pratos criativos e totalmente fora do comum são um verdadeiro banquete. Experimente o rabanete com creme picante de avelã ou beterrabas com flor de sabugueiro.

Tubérculos e cenouras de Kiselgaarden

Tubérculos biodinâmicos

Os vegetais frescos e saborosos que são transformados em iguarias gourmet nas cozinhas de Copenhague costumam ser produzidos no vilarejo de Ugerløse, no oeste da Zelândia. O jovem e talentoso fazendeiro Ask Rasmussen e seus pais, Lisa e Eigil, cultivam cenouras, tubérculos e ervas típicas da Dinamarca na fazenda biodinâmica de Kiselgaarden. A argila é mais pesada nesse local e cheia de minerais. Os produtos da Kiselgaarden são ansiosamente abocanhados pelos chefs do Noma e de outros restaurantes aclamados.