Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

Tempelhof: do ‘Weltflughafen’ (aeroporto internacional) de Hitler a um parque da cidade

De campo de pouso improvisado a maior aeroporto do mundo, e de campo de desfiles prussiano a parque da cidade: nenhum outro aeroporto tem uma historia tão turbulenta quanto o aeroporto Flughafen Tempelhof. Em 1926, este era o maior aeroporto da Europa com 10 voos por dia. Ainda maior do que os de Londres, Paris e Amsterdam. Quando, durante a Guerra Fria, a União Soviética bloqueou todos os acessos por terra, Berlim Ocidental recebia todos os seus suprimentos pelo ar por Tempelhof: a apelidada 'Ponte-aérea de Berlim'.

Quando Hitler chegou ao poder em 1933, ele encomendou ao arquiteto nazista Ernst Sagebiel a transformação de Tempelhof em um 'Weltflughafen'. Quando o enorme terminal semicircular foi inaugurado em 1939, era o maior edifício do mundo. O novo aeroporto foi desenhado para ser usado até o ano 2000, com capacidade 30 vezes maior do que inicialmente necessário para que pudesse ser útil por todos esses anos. Apesar dos persistentes protestos contra o seu fechamento, o último avião decolou de Tempelhof em 2008. Agora ele foi transformado em um parque e continua quebrando recordes como o maior parque de Berlim.

Tempelhof: de aeroporto de Hitler a parque da cidade
Tempelhof: de aeroporto de Hitler a parque da cidade

Berlim

A ponte-aérea de Berlim durante a Guerra Fria

É bastante irônico que uma das maiores construções de Hitler tenha um lugar especial no coração de muitos berlinenses. Tempelhof foi construído como a grande entrada da ‘Germania’, a nova capital do Terceiro Reich, e salvou muitos de morrer de fome depois da guerra.
Quando a Alemanha Ocidental introduziu a moeda Deutschmark em 1948, o líder soviético Stalin respondeu bloqueando todas as rotas terrestres para Berlim Ocidental. A única maneira de conseguir suprimentos para os 2 milhões de moradores de Berlim Ocidental era pelo ar. Foi uma benção disfarçada que Tempelhof estivesse localizado deste lado do Muro de Berlim.
A 'Ponte-aérea de Berlim' foi uma operação monstruosa: por praticamente um ano, um avião de carga pousava aqui a cada minuto. Os aviões com suprimentos eram conhecidos como ‘Rosinenbomber’ (bombardeiros de passas), por que quando os pilotos se aproximavam para pousar, eles jogavam caixas de passas, doces e barras de chocolate para as crianças. Neste período, 278.000 voos entregaram 2,3 milhões de toneladas de suprimentos.

“A ponte-aérea de Berlim foi uma operação monstruosa: um avião pousava a cada minuto”

O edifício de 1,3 quilômetros de comprimento do aeroporto de Tempelhof

O maior parque de Berlim

Depois que o aeroporto fechou, a cidade discutiu sobre seu futuro por muitos anos. Atualmente, Tempelhof é o maior parque na cidade de Berlim. As pistas são usadas para andar de bicicleta, correr, andar de skate e praticar kite-surf. As pessoas lotam os gramados para relaxar, jogar futebol ou fazer churrascos. O parque também recebe festivais de música pop e grandes eventos esportivos frequentemente. Os hangares foram transformados em centros esportivos, discotecas, escritórios, ateliês e estúdios de gravação. Sob a direção do arquiteto paisagista Eelco Hooftman, um bairro residencial está sendo construído próximo ao parque. Esse aeroporto histórico foi designado um monumento histórico e será preservado.

Um Douglas DC-3 no Aeroporto Tempelhof

Créditos das fotos

  • Um Douglas DC-3 no Aeroporto Tempelhof: Erasmus Wolff, Shutterstock