Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

A joia de Montréal

O Mont Royal é para onde os moradores de Montréal vão em busca de ar fresco e lindas caminhadas, para fazer esqui cross-country no inverno e piqueniques no verão. Este é o melhor lugar da cidade para aproveitar a vida ao ar livre, praticar esportes ou simplesmente devanear. Do centro da cidade, tome qualquer rua que suba a colina. Todas acabam no cume de 233 metros de altura, com vistas maravilhosas da cidade.

Inaugurado em 1876, o parque foi projetado pelo arquiteto paisagista Frederick Law Olmsted, famoso por seu projeto do Central Park em Nova York. Em 1860, a maior parte da montanha havia sido devastada por madeireiros, para desgosto da população. Quando a área foi declarada parque urbano, Montréal ganhou uma verdadeira joia, e até hoje o parque é um destino muito popular.

O pôr do sol visto do Mont Royal
O pôr do sol visto do Mont Royal

Montreal

Para o alto

O Mont Royal na verdade tem 3 cumes, mas o mais alto e mais conhecido é o Mont Royal Summit. Várias trilhas de caminhada levam ao mirante deste cume. Os caminhos de 6 a 7 quilômetros de extensão sobem muito suavemente, tornando a caminhada muito fácil. De Peel Street, você pode subir por uma trilha sinuosa conhecida como a “serpentina”. Outra opção é subir de bicicleta. Olmsted Road é uma ciclovia larga que começa no monumento de George-Étienne Cartier, na Park Avenue, e vai até o topo da montanha. Os que preferirem evitar o desafio atlético podem também tomar o ônibus 11 para o mirante. O ônibus parte da estação de metrô Mont-Royal.


Uma referência na montanha, a cruz de 30 metros de altura é lindamente iluminada à noite. Isto é um memorial à cruz de madeira que foi colocada no local em 1643 pelo fundador de Montréal, o Governador Paul Chomedey.

Natureza no coração da cidade

“Os habitantes de Montréal orgulham-se de sua “montanha”, que eles afetuosamente chamam de “La Montagne””

Belos cemitérios

Há dois grandes cemitérios no lado norte do Mont Royal: Cimetière Mont-Royal e Cimetière Notre-Dame-des-Neiges. O primeiro é o lugar do repouso final de pelo menos 200 celebridades canadenses. O cemitério data de 1852 e é um oásis de paz e um paraíso para a observação de pássaros. Quase tão antigo quanto o Cimetière Mont Royal, o Cimetière Notre-Dame-des-Neiges é o maior cemitério canadense – mais de um milhão de pessoas estão aí enterradas. Seu projeto baseia-se no famoso cemitério de Père Lachaise de Paris. Na entrada você pode pegar um folheto, um bom guia para um passeio pelos lugares mais bonitos do cemitério.

Cimetière Notre-Dame-des-Neiges
Vista fantástica do Mont Royal
Patinação no Beaver Lake

Relaxando no Beaver Lake

Beaver Lake, ou Lac aux Castors (Lago dos Castores), é o lugar favorito de muitos habitantes de Montréal. No verão, este é o domínio de velejadores e banhistas, mas assim que as temperaturas caem e o duro inverno canadense chega, Beaver Lake se transforma num paraíso de patinação. De dezembro a março você pode patinar sobre o rinque. Ele fica muito movimentado nos fins de semana, por isso vá durante a semana, para evitar a multidão.

Créditos das fotos

  • Cimetière Notre-Dame-des-Neiges: meunierd, Shutterstock
  • Patinação no Beaver Lake: zalgon, Flickr