Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

Grand Place: 'a praça mais bonita do mundo'

A maior atração em Bruxelas é a Grand Place ou Grote Markt. Esta praça central é famosa por sua riqueza histórica. Cercada pela Prefeitura, a ‘Broodhuis’, e numerosos salões, não é surpresa a UNESCO ter adicionado a Grand Place à lista de Patrimônios Culturais Mundiais em 1998.

Os grêmios (associação de grupos profissionais) costumavam exercer uma função importante na cidade. Carpinteiros, pedreiros, cirurgiões e capitães eram representados por um grêmio. A administração do grêmio funcionava em um salão, onde reuniões e jantares eram realizados. Muitos grêmios tinham escritórios na Grand Place. Estes edifícios belamente desenhados ainda fazem parte da requintada decoração da praça. O autor francês Victor Hugo chegou a nomear a Grand Place como a 'mais bela praça do mundo'.

Grêmios decorados suntuosamente

Demonstração de poder na praça

Durante a primeira metade do século 15, a Prefeitura foi construída no lado sul da praça, uma obra prima de arquitetura gótica. O interior possiu uma combinação elaborada de estilos, incluindo o estilo Louis XIV dos primórdios do século 18. A construção possui uma torre de 96 metros de altura e, no topo desta, uma estátua de 3 metros de altura do arcanjo Miguel matando um dragão. Esta demonstração de força causou a inveja do Duque de Brabant, que prontamente decorou com extravagância a antiga Broodhuis (Breadhouse), do outro lado da praça. Ele a nomeou ‘Maison du Roi’ – Casa do Rei.

Em 1695, a Grand Place sofreu uma grande destruição durante o bombardeio pesado das tropas de Louis XIV. O Rei-Sol Francês queria expandir seu território durante a Guerra dos Nove Anos, que também devastou Bruxelas. Mas a cidade se recuperou rapidamente, em parte por causa dos grêmios. O centro foi rapidamente reconstruído, e depois de um tempo relativamente curto, a Grand Place voltou a sua glória anterior.

As muitas faces da Broodhuis

Uma das construções mais ornamentadas da Grand Place é a Broodhuis, a ‘Maison du Roi’. Passou por reformas em numerosas ocasiões através dos séculos. Aqui se vendia pão no século 13, e nos primórdios do século 15, a construção foi ocupada pelo Duque de Brabant. Nessa época, o lugar, que era uma construção de madeira, foi substituído por um edifício de pedra em 1405. Uma fachada Gótica com detalhes extravagantes foi adicionada por ordem do Imperador Charles, e em meados do século 19 a construção foi mais uma vez demolida e reconstruída no estilo Neogótico. Atualmente, a Broodhuis abriga um museu com uma valiosa coleção de pinturas, tapeçarias, esculturas, pratarias e porcelanas. A visita é definitivamente válida, já que a coleção oferece um panorama incrível da história da cidade.

A Broodhuis, também conhecida como ‘Maison du Roi’
De praça de pedra a mar de flores

Tapete de flores na praça

A cada 2 anos, em agosto, a Grand Place é coberta por um enorme tapete de flores. Aproximadamente 120 voluntários passam quatro horas cobrindo a superfície de 1.800 metros quadrados com 800.000 begônias coloridas, formando belas estampas. O primeiro tapete de flores, feito em 1971, fez tanto sucesso que deu início a toda uma tradição. O evento sempre atrai milhares de turistas. É impressionante ver uma praça de pedra transformada em um mar de flores por uma semana inteira.

Créditos das fotos

  • De praça de pedra a mar de flores: Europhotos, Shutterstock