Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

O sonho sagrado de Veneza

A Basílica de São Marcos é coisa de conto de fadas real: grandes cúpulas e torres, arcos elegantes, mosaicos dourados e magníficas imagens de santos. E isto é só a parte externa! Os próprios venezianos não se cansam de admirar a fachada da catedral. O interior da Basílica de São Marcos, dedicado ao padroeiro da cidade, é ainda mais encantador.

“O salão mais lindo do mundo que merece ter o céu como teto” - assim Napoleão descreveu a mundialmente famosa Praça de São Marcos. Os venezianos a chamam simplesmente de “La Piazzetta”: existe somente uma praça verdadeira em sua cidade e é a Praça de São Marcos. Ela está sempre movimentada, já que os turistas se amontoam aqui para tirar fotografias, e os vendedores ambulantes vendem insistentemente comida para pombos. Esta é uma das praças mais impressionantes do mundo e com certeza também uma das mais famosas - o cenário ideal para uma das mais lindas catedrais da Europa.

Arquitetura bizantina deslumbrante
Arquitetura bizantina deslumbrante

Veneza

Maravilha da Arquitetura Mundial

Nem todo mundo fica imediatamente encantado com a opulenta ostentação da Basílica de São Marcos – de fato Mark Twain descreveu a catedral como um “grande inseto verruguento numa caminhada meditativa”. Mas o crítico de arte inglês, John Ruskin, esgotou todos os superlativos que conhecia para descrever a catedral como uma maravilha da arquitetura mundial. E Napoleão ficou tão enamorado dela que retirou um punhado de pedras preciosas do altar Pala d'Oro e as levou para casa como lembrança.
Entre os incontáveis trabalhos de arte da Basílica de São Marcos, o altar é o destaque absoluto: o Pala d'Oro é uma sinfonia de ouro, esmalte e pedras preciosas, composta por 250 painéis criados por diversos ourives medievais. A catedral em si foi construída no século XI em estilo bizantino, em forma de cruz grega, com uma cúpula em cada lado dos braços. Ao longo dos séculos, a catedral passou por reformas drásticas, expansões e restaurações, e, como consequência, encontram-se influências tanto bizantinas como renascentistas. Hoje, todo mundo parece ter se convencido que Ruskin tinha razão, e não Twain.

“John Ruskin descreveu a catedral como uma maravilha da arquitetura mundial”

Um café com Casanova

A Basílica é a atração mais famosa, mas a Praça de São Marcos é cercada por várias outras construções notáveis. Dos dois lados da praça ficam as amplas arcadas das Procuratie Vecchie e das Procuratie Nuove. Perto da catedral fica o Palácio Ducal Gótico e a Campanile, o campanário que tem quase 100 metros de altura. Você pode subir até o topo para apreciar vistas fantásticas das 5 cúpulas da Basílica de São Marcos e do resto de Veneza. Os pátios em torno da praça também são famosos, por exemplo, o do histórico Caffè Florian, onde Casanova, Goethe, Proust e Dickens vinham tomar café. O preço de um café expresso é astronômico, mas a vista não tem preço.