Parece que o seu navegador está desatualizado.
Para utilizar todas as funcionalidades de KLM.com de forma segura, recomendamos que você atualize o seu navegador ou que você escolha um diferente. Se continuar com esta versão, é possível que partes do site não sejam exibidas adequadamente, ou que nem sejam exibidas. A segurança de seus dados pessoais também é melhor garantida com um navegador atualizado.

 

Os tesouros do Museu Nacional

O Museu Nacional de Dar es Salaam é um dos cinco museus do país que compõem o Museu Nacional da Tanzânia. É um excelente lugar para começar sua exploração tanto da capital quanto do país, porque o museu foca a história desta parte da África, bem como de toda a humanidade.

Quando foi inaugurado, o museu foi dedicado à memória do rei britânico George V, que era o chefe de estado oficial de Tanganyika – o mandato britânico que precedeu a atual Tanzânia. Pouco restou da exposição original dedicada ao rei; as exposições mais importantes agora incluem um Rolls Royce presidencial e uma coleção de fósseis de milhões de anos. O museu também abrange o longo período em que as cidades-estados persas desempenharam um papel proeminente ao longo da costa da África Oriental.

O Rolls Royce presidencial

O carro mais elegante dos anos sessenta

Quando a Tanzânia conquistou sua independência, em dezembro de 1961, o governo britânico deu um Rolls Royce de presente para o presidente do novo país. O modelo foi um Phantom V State Landaulette, do qual só foram produzidos cinco exemplares. Ele tinha um teto retrátil, de forma que o presidente Julius Nyerere Kamba e seus convidados podiam acenar para a multidão nas ruas. Os dois presidentes seguintes também fizeram bom uso do luxuoso carro que, como patrimônio nacional, foi mais tarde doado para o museu, em 2000.

Fósseis de Olduvai Gorge

Olduvai Gorge (Garganta de Olduvai), um cânion de 50 quilômetros de comprimento na Tanzânia do norte, é conhecido como o berço da humanidade e é um dos mais importantes sítios paleontológicos e antropológicos. Os arqueólogos britânicos Louis e Mary Leakey e sua família descobriram uma grande quantidade de fósseis de origem humana. Os mais antigos têm 2 milhões de anos e formam a base de nossa compreensão sobre a evolução da humanidade. A peça mais famosa do museu é um crânio do Paranthropus boisei, um hominídeo (extinto), descoberto por Mary Leakey em 1959.

Paranthropus boisei
Kilwa Kisiwani

A cidade-estado de Kilwa

A ilha de Kilwa Kisiwani desempenhou um papel importante na história da Tanzânia. Do século XIII até o XVI, os comerciantes persas estabeleceram aí uma cidade-estado. E foi aí que as culturas dos mercadores e das tribos dos bantos do continente se miscigenaram para formar a cultura suaíli que ainda caracteriza a Tanzânia. O museu também apresenta muitos achados arqueológicos da chamada era Shirazi. Os guias têm prazer em prestar informações sobre as exposições.

Créditos das fotos

  • O Rolls Royce presidencial: Flickr: Nokem
  • Paranthropus boisei: Flickr: James St. John